Bovespa inverte o sinal e cai com ações da Petrobras

Estatal teve de buscar um empréstimo de R$ 2 bi da Caixa em outubro para sanar problemas

Agência Estado,

27 de novembro de 2008 | 12h58

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) opera no terreno negativo nesta quinta-feira, 27, com a notícia de que Petrobras teve de buscar um empréstimo de R$ 2 bilhões da Caixa Econômica Federal no final de outubro para sanar um problema de caixa momentâneo. Às 12h53 (de Brasília), o Ibovespa perdia 0,44%, aos 36.310 pontos. Na primeira hora do pregão, o índice chegou a subir quase 1%. No mesmo horário, Petrobras PN renovava a mínima e caia 2,29%; ON recuava 2,53%. O dólar desvaloriza-se 0,79%, cotado a R$ 2,249.   Veja também: Petrobras divulga comunicado sobre sua saúde financeira Governo minimiza socorro de R$ 2 bi da Caixa à Petrobras Senado ouvirá Meirelles e presidentes da Petrobras e Caixa   A Petrobras confirmou a operação feita junto à Caixa e mas disse tratar-se de uma necessidade de empréstimo apenas momentânea e que a empresa não tem um problema de caixa.   As dificuldades de geração da caixa da Petrobrás foram denunciadas na noite de quarta-feira pelo senador Tasso Jereissati (PSDB-CE). Ele disse também ter informações de que também o Banco do Brasil vem injetado recursos na Petrobrás nos últimos meses.   O senador fez um convite para que o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, e os presidentes da Petrobrás, Sérgio Gabrielli, do BB, Antonio Lima Neto, e da Caixa, Maria Fernanda Coelho, compareçam à Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), do Senado, para prestarem Esclarecimentos.   A notícia pode servir de gancho para uma realização de lucros das ações de Petrobras, aproveitando a alta de quarta e mais o fato de que o petróleo opera em baixa. Mas analistas se mostram divididos em relação ao impacto negativo dessa notícia nos papéis.

Tudo o que sabemos sobre:
BovespaPetrobras

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.