Bovespa inverte tendência, seguindo NY, e sobe mais de 1%

No mercado de câmbio, o dólar cai mais de 5%, a R$ 2,25, influenciado por medidas tomadas pelo Banco Central

Da Redação,

23 Outubro 2008 | 13h12

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) abriu em queda nesta quinta-feira, 23, mas conseguiu se recuperar seguindo a alta nos mercados de Nova York nesta tarde. Às 13h11, o principal índice da Bolsa subia 1,22%, aos 35.497 pontos.   Veja também: Consultor responde a dúvidas sobre crise   Como o mundo reage à crise  Entenda a disparada do dólar e seus efeitos Especialistas dão dicas de como agir no meio da crise A cronologia da crise financeira  Dicionário da crise    Em Wall Street, as bolsas surpreenderam e abriram em alta nesta quinta, mesmo com os índices futuros de ações de Wall Street apontando para mais uma abertura em baixa. Por volta das 13 horas, o Dow Jones subia 2,15% e o Nasdaq 0,78%.   Já o dólar comercial iniciou o dia em forte alta, após a valorização já expressiva de 6,44% registrada na quarta-feira. Após chegar a R$ 2,532 no início da manhã, a moeda inverteu a tendência com o anúncio de um programa de venda de contratos de swap cambial (operação em que a autoridade monetária assume a posição de vendedora em dólar e compradora em taxa de juro) no valor de até US$ 50 bilhões. Às 13h, o dólar caía 5,46%, a R$ 2,25, na cotação mínima do dia até o momento.   Por aqui, o recuo do dólar é conseqüência também do anúncio de um leilão de venda de dólares no mercado à vista feito em seguida da divulgação do programa de venda de contratos de swap. O BC também afirmou que realizará um segundo leilão de swap cambial, em que serão vendidos 30 mil contratos para 1 de dezembro de 2008. A operação equivale a US$ 1,5 bilhão.   Segundo nota distribuída à imprensa, a decisão faz parte da estratégia "de mitigação do impacto da crise financeira internacional sobre a economia brasileira". A autoridade monetária explica que as vendas serão realizadas "de acordo com as necessidades de liquidez dos mercados".   No texto, o BC também cita que os swaps, assim como as operações com reservas e os empréstimos em moedas estrangeiras com garantias constituem mecanismos eficientes de atuação e continuarão a ser utilizados na medida em que o BC julgue necessário, com vistas a assegurar o bom funcionamento dos mercados".   Mudança de limites   A BM&FBovespa informou aos membros de compensação, corretoras membros e operadores especiais que está alterando a partir desta quinta os limites de oscilação para os Contratos Futuros de Federative Republic of Brazil Global Bonds. Os novos limites, máximo e mínimo, serão os preços de ajuste do dia anterior acrescido de 8%   A Bolsa informa ainda que tal mecanismo de limite de oscilação diária não foi acionado nos três últimos dias de negociação e que os novos limites poderão ser revogados ou alterados a qualquer momento.   Europa   As bolsas européias também operam em queda nesta quinta-feira. Às 12h05 (de Brasília), Londres caía 1,18%, Paris perdia 1,86%, Frankfurt cedia 2,95% e Madri desvalorizava-se 4,59%. Mais cedo, a Bolsa russa Micex suspendeu seus negócios em conseqüência da forte queda de seu principal índice, que cedia 5,4%.   Nesta quinta, a Câmara dos Comuns do Parlamento britânico debate o projeto de lei que facilita a estatização de bancos. Em Genebra, dois comitês da Organização Mundial do Comércio (OMC) têm reuniões marcadas: o de Medidas de Investimento Relacionadas ao Comércio e o de Barreiras Técnicas ao Comércio. Em Paris, a Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) promove mesa-redonda sobre segurança de produtos ao consumidor.

Mais conteúdo sobre:
Crise Financeira Crise nos EUA Bovespa

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.