Bovespa lidera investimentos de agosto

A Bolsa de São Paulo (Bovespa), com valorização de 11,81%, liderou por ampla margem a lista dos investimentos mais rentáveis de agosto e o dólar comercial ocupou a última posição, com alta de apenas 0,47%. O balanço do ano segue a mesma tendência apresentada em agosto, com a Bolsa em alta de 34,66% e o dólar, em última colocação no ranking de investimentos, em baixa de 15,85%. O segundo lugar entre as aplicações que mais renderam em agosto ficou com os Fundos de ações formações por papéis da Vale do Rio Doce, cujos recursos são provenientes das contas do FGTS. Nestas carteiras, o ganho foi de 9,03%. O terceiro lugar no ranking de investimentos foi ocupado pelo ouro, com valorização de 6,41%, influenciado pelo avanço das cotações no mercado internacional. Os fundos de ações com papéis da Petrobrás, também com captação junto ao FGTS, renderam 6,16%. Renda fixaAs posições seguintes foram ocupadas pelas aplicações de renda fixa. A mais rentável foi o CDB para valores acima de R$ 100 mil, que rendeu 1,48% líquido. Os fundos de investimento sustentaram as posições seguintes, com rentabilidade mais baixa que em meses anteriores, já como reflexo da tendência de baixa das taxas de juro. A liderança na família dos fundos ficou com as carteiras DI (juros pós-fixados), que renderam 1,06% líquido, seguidos pelos de renda fixa, com 1,01%. Todos eles, além da caderneta de poupança, com rendimento de 0,91%, ganharam da inflação de 0,38%, medida pelo Índice Geral dos Preços de Mercado (IGP-M). Mercado acionárioO grande destaque de agosto foi a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), que rompeu o nível dos 15 mil pontos pela primeira vez desde 13 de junho de 2001, portanto em mais de dois anos. A aceleração das ações foi amparada também por forte expansão do volume, que saiu da média de R$ 570 milhões em julho para R$ 830 milhões em agosto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.