Bovespa lidera ranking de investimentos em novembro

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) encerra o mês de novembro com alta de 12,24% e lidera o ranking das aplicações financeiras. O mercado acionário é seguido pelo euro, com rentabilidade de 6,96%. O contrato de ouro negociado na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) aparece em terceiro lugar no ranking, com alta de 5,37%.Os fundos cambiais em dólar foram beneficiados pela alta da moeda norte-americana e encerraram o período com ganho nominal de 3,35%. A alta do dólar oficial, que impulsionou o desempenho deste investimento, fechou com alta de 3,26%.Nas aplicações de renda fixa, as carteiras com taxas de juros prefixada fecharam com ganho nominal de 1,51%. Os fundos com taxas pós-fixadas (DIs) registraram rentabilidade nominal de 1,49% e a caderneta de poupança encerra o mês de novembro na última colocação, com alta de 0,68%.Perspectivas e recomendaçõesAnalistas acreditam que há espaço para a continuidade da alta da Bolsa. Quem quer entrar nesta mercado precisa estar atento aos riscos do investimento. As ações carregam dois tipos: o risco de mercado e o risco de crédito. O risco de mercado é a parte que tem origem nas oscilações macroeconômicas, que podem favorecer ou prejudicar todo o mercado, considerando que as demais variáveis fiquem constantes. Uma alta dos juros, por exemplo, prejudica todo o mercado. O risco de crédito ocorre no caso de a empresa emissora das ações ter problemas, como ir à falência. Para reduzir o risco do investimento em ações há duas dicas. Primeiro, escolher com cuidado ações que tenham um risco coerente com o retorno esperado. Segundo, diversificar a carteira, comprando diversos papéis, de preferência de setores diferentes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.