Bovespa: Madri orienta funções do ombudsman

Recuperar a credibilidade do mercado brasileiro de ações aos níveis de antes da crise cambial de 1999, quando a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) movimentava cerca de US$ 1 bi por dia, é o principal objetivo da visita do presidente da Bovespa, Raimundo Magliano Filho, à Bolsa de Valores de Madri. Magliano passou o dia de hoje reunido com o diretor de Relações Internacionais da bolsa espanhola, Ramón Adarraga, e com a equipe do Ombudsman da instituição. Até o próximo mês de maio a Bovespa deve instituir a mesma figura no pregão de São Paulo. Para Magliano, a atuação de um Ombudsman contribui para imprimir transparência, e portanto mais credibilidade, às negociações no mercado de ações do Brasil. "O Ombudsman da Bolsa em São Paulo desempenhará, a exemplo do espanhol, o papel de um mediador para solucionar as pendências entre as corretoras e os pequenos investidores", acrescentou Magliano. De acordo com ele, a figura do Ombudsman, além de resolver problemas entre investidores e corretores, fornecerá informações sobre a operacionalidade do pregão, como forma de evitar possíveis problemas de percurso nos negócios do dia a dia da Bovespa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.