Bovespa opera em alta e volta a buscar os 70 mil pontos

Aversão ao risco cai diante de socorro financeiro dado ao conglomerado Dubai World

Agência Estado,

14 de dezembro de 2009 | 11h07

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) opera em alta de 0,30%, aos 69.462 pontos, nesta segunda-feira,14. Segundo os analistas, é grande a expectativa de que a Bovespa retome o patamar dos 70 mil pontos, impulsionada pelo cenário internacional. A última vez que a Bolsa fechou acima dos 70 mil pontos foi no dia 5 de junho de 2008, quando o pregão foi encerrado aos 71.209 pontos.

 

A notícia de que a Dubai World recebeu do governo de Abu Dabi uma ajuda financeira de US$

10 bilhões renova o apetite ao risco na medida em que diminui a preocupação do mercado financeiro

com um calote em Dubai. 

 

Esse noticiário positivo de Dubai torna mais tranquila a espera pelos indicadores econômicos que serão divulgados nos EUA esta semana e principalmente a última reunião do Fomc de 2009, na quarta-feira, que pode trazer alguma sinalização sobre o início do processo de alta de juros e sobre a retirada de estímulos fiscais daqui por diante. 

 

No entanto, o risco para a Bovespa é o comportamento do dólar no exterior, pelo efeito direto da divisa norte-americana no mercado de commodities. Na sexta-feira, por exemplo, embora a Bolsa tenha renovado a máxima do ano, aos 69.267 pontos, alta de 0,78%, a valorização foi contida pela apreciação do dólar ante outras moedas, que conteve a demanda por matérias-primas. O dólar subiu na sexta-feira ante outras moedas fortes, refletindo o receio dos investidores de que os últimos indicadores econômicos favoráveis nos EUA podem levar o Fed a subir o juro mais cedo do que o esperado.

 

Como a farta liquidez internacional é o que vem determinando o avanço da Bovespa, uma eventual alta de juros nos EUA alteraria esse quadro de liquidez elevada e por esse motivo os investidores

aguardam com muita expectativa a nota da reunião do Fomc nesta quarta-feira. Os metais básico

operam de lado no exterior e o petróleo registrava há pouco baixa de mais de 1%, cotado a US$ 68,93

por barril na Nymex eletrônica.

 

Além da expectativa com a reunião do Fed, os negócios na Bovespa serão movimentados esta

semana pelo último vencimento do ano de índice futuro, quarta-feira, e de opções sobre o índice, na

próxima segunda, dia 21. Segundo fontes, há a possibilidade desses exercícios darem uma puxada

nos preços das blue chips Vale e Petrobras.

 

Texto atualizado às 16h10

 

(com Sueli Campos, da Agência Estado)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.