Bovespa perde os 66 mil pontos, castigada por Vale e Nova York

A semana começou mal para a bolsa brasileira, que perdeu a marca dos 66 mil pontos, encerrando em baixa de mais de 1%. O desempenho negativo do Ibovespa, bem pior do que o de seus pares em Nova York, foi puxado principalmente pela queda de mais de 2% nos papéis da Vale, por sua vez, castigados pelas preocupações em torno de uma possível proposta da mineradora, em conjunto com a chinesa Sinochem, para compra da indústria de fertilizantes canadense Potash. Ontem. logo após o fechamento do pregão regular, a Vale disse serem ''infundadas'' as notícias sobre essa negociação.

Cenário: Sueli Campo, O Estado de S.Paulo

24 de agosto de 2010 | 00h00

As especulações sobre possível interesse da Vale na mineradora de potássio deixaram Petrobrás em segundo plano pela primeira vez em muitos dias. Depois de passarem boa parte do pregão em alta, as ações de Petrobrás perderam o fôlego. As preferenciais recuaram 0,45%, fechando na mínima de R$ 26,66, e as ordinárias cederam 0,40%, a R$ 30,18, reféns das dúvidas envolvendo o preço do barril do pré-sal para a cessão onerosa e o prazo da capitalização.

Wall Street também não ajudou a Bovespa. Na falta de indicadores de peso, as bolsas em Nova York tentaram se firmar em alta, apegando-se ao noticiário corporativo, mas fraquejaram de vez no meio da tarde, despertadas pelos temores em relação às condições econômicas nos EUA. O índice Dow Jones caiu 0,38%.

O dólar cravou sua terceira sessão seguida de alta, acumuland0 ganho de 0,85%. A moeda norte-americana subiu 0,51%, a R$ 1,768, se distanciando ainda mais do piso psicológico de R$ 1,75.

No mercado de juros, a taxa para janeiro de 2012 ficou em 11,18%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.