Bovespa: protesto contra o "Brazil Day"

Os operadores e funcionários da Bovespa começaram às 12 horas o maior protesto da história de 111 anos da Bolsa. Todos estão descendo ao saguão do pregão para protestar contra o "Brazil Day", evento de empresas e autoridades que serão realizados hoje e amanhã na Bolsa de Nova York. Os operadores e funcionários da Bovespa condenam o esvaziamento do mercado brasileiro e a migração de investimentos para os Estados Unidos. As principais reivindicações são o fim da cobrança da CPMF e o não aumento do imposto de renda sobre as aplicações de renda variável, de 10% para 20%, programado para janeiro de 2002. A manifestação, que tem o apoio da direção da Bolsa e das corretoras associadas, deve durar até as 13 horas. Os operadores pararam as negociações do pregão viva-voz e do sistema eletrônico, enquanto os funcionários paralisaram as atividades. Em um protesto realizado em 3 de agosto de 1999, que também teve como bandeira o fim da CPMF, os operadores paralisaram o sistema viva-voz, mas o sistema eletrônico continuou operando e os funcionários não aderiram ao movimento.

Agencia Estado,

06 de setembro de 2001 | 12h39

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.