carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Bovespa recua com volume fraco após alta do juro na China

O aumento dos juros na China motivou a queda da bolsa brasileira nesta segunda-feira, em uma sessão com volume abaixo da média.

SILVIO CASCIONE, REUTERS

27 de dezembro de 2010 | 22h00

O Ibovespa, principal índice acionário local, caiu 1,0 por cento, a 67.803 pontos. O volume financeiro do pregão foi de 3,11 bilhões de reais, inferior à média deste mês.

A principal notícia foi a alta de 0,25 ponto percentual do juro na China durante o final de semana, a segunda em pouco mais de dois meses. O banco central do país também elevou os depósitos compulsórios. As medidas visam o combate à inflação, mas devem também frear a atividade econômica e, portanto, a demanda por commodities importadas do Brasil.

As ações preferenciais da mineradora Vale caíram 1,9 por cento, a 49,10 reais, com o maior volume da bolsa, enquanto que os papéis ordinários recuaram 2,85 por cento, em 55,23 reais.

As ações preferenciais da Petrobras ganharam 1,17 por cento, para 26,05 reais, ao passo que as ordinárias da petrolífera se valorizaram 0,7 por cento, a 28,74 reais.

Os papéis de siderúrgicas como Gerdau, CSN e Usiminas, que dependem da cotação do aço, recuaram entre 0,85 e 2,12 por cento.

No mês, o Ibovespa acumula alta de apenas 0,15 por cento, e tem se mantido consistentemente abaixo de 70 mil pontos. Analistas da SLW Corretora, no entanto, avaliam em relatório que há perspectiva de alguma recuperação.

"Mesmo com a visão de que o volume deva diminuir no período, ainda assim aguardamos... alguma melhora nos próximos pregões, já que o descolamento do Ibovespa com outras bolsas de valores foi representativo neste mês de dezembro".

Entre outras ações em queda nesta segunda-feira estava a produtora de carne JBS, com queda de 3,7 por cento, a maior do índice, a 7,29 reais. O grupo negocia com o BNDESPar, braço de participações do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), a emissão de 4 bilhões de reais em debêntures.

Fora do índice, os recibos de ações da Laep Investments despencaram 8,33 por cento, a 0,77 reais, com uma das maiores quedas da bolsa. O papel devolveu os ganhos acumulados após o anúncio na quinta-feira passada da criação Lácteos Brasil (LBR), tida como a maior empresa nacional de laticínios, a partir da fusão entre a Bom Gosto e a LeitBom (controlada pela Monticiano, da qual a Laep é acionista).

Tudo o que sabemos sobre:
BOVESPAFECHAFINAL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.