Bovespa recua e risco Brasil atinge mínima histórica

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou em queda de 0,96% nesta terça-feira, dia 27, acompanhando as baixas do mercado de ações norte-americano. O volume financeiro foi o mais fraco do mês, de R$ 2,3 bilhões de reais. O dólar comercial encerrou o dia cotado a R$ 2,0630, em alta de 0,15%. O risco Brasil - taxa que mede a confiança do investidor estrangeiro na capacidade de pagamento da dívida do País - fechou a 172 pontos, abaixo da mínima histórica, de 174 pontos.Max Bueno, analista de investimentos da corretora Spinelli ponderou que a realização de lucros na bolsa paulista seguiu as preocupações externas, mas não há pessimismo. "Inclusive um fato que vem ficando cada vez mais claro no mercado acionário brasileiro é que está gradualmente se descolando de Nova York. Nova York continua sendo referência, mas a correlação histórica vem se reduzindo", disse ele. O analista esclareceu que, quando os índices dos EUA caem, o Ibovespa tem declínio menor do que se esperaria, e as recuperações são um pouco mais proporcionais. "Mostra que a economia brasileira está num bom momento e a bolsa vem se sustentando acima dos 45 mil pontos... inclusive o risco próximo de pisos históricos impediu uma queda maior tanto na bolsa, quanto uma alta maior do dólar", afirmou Bueno. Em Nova York, o índice Dow Jones - que mede o desempenho das ações mais negociadas - recuou 0,58%. A Nasdaq - bolsa que negocia ações do setor de tecnologia e internet - caiu 0,74%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.