Bovespa registra a maior entrada de capital externo desde 99

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) encerrou julho com entrada de capital externo de R$ 513,458 milhões, resultado de compras de ações de R$ 3,144 bilhões e vendas de R$ 2,630 bilhões. No acumulado do ano, até o final de julho, o saldo está positivo em R$ 2,449 bilhões. Segundo a Bovespa, esse é o maior saldo acumulado nos primeiros sete meses do ano desde 1999, quando o montante somou R$ 3,281 bilhões influenciado pelas privatizações. Giro cai 26%O giro financeiro da Bovespa em julho somou R$ 12,5 bilhões. A média de operações diária caiu 26,77% na comparação com junho, para R$ 572,6 milhões. Do total negociado em julho, 13,24% veio do pregão viva voz e 86,76% do sistema eletrônico (Mega Bolsa e Bovespa Fix). O mercado à vista representou 88,25% do giro total do mês. Em seguida ficaram opções (8,46%) e termo (3,29%). O after market negociou R$ 26,14 milhões com 4.336 negócios, ante a média de junho que foi de R$ 34,06 milhões, em 5.120 negócios. O Homebroker respondeu por 2,45% do volume total de julho. Investidores institucionais lideramOs investidores institucionais lideraram a movimentação mensal com 29,8% do volume transacionado. Em seguida ficaram as pessoas físicas, com 25,8%. Segundo a Bovespa, é a primeira vez nos últimos dez anos que esse segmento atinge um quarto do volume total no mês. Depois vieram os estrangeiros (23%), as instituições financeiras (17,7%) e as empresas (3,2%).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.