Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Bovespa segue bolsas internacionais e oscila após abertura

Passada a animação com a decisão do Fed de cortar os juros, mercado se volta para os motivos por trás dela

Sueli Campo, da Agência Estado,

17 de dezembro de 2008 | 11h47

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) abriu em baixa nesta quarta-feira, 17, e pode passar por uma realização de lucros nesta sessão, acompanhando o movimento negativo dos índices futuros das Bolsas norte-americanas esta manhã. Porém, o ritmo dos negócios será ditado também pelo vencimento de opções sobre o índice Bovespa, o que traz incerteza ao pregão. Às 11h10 (de Brasília), o Ibovespa tinha leve alta de 0,15%, a 40.054 pontos, após recuar 0,86%, a 39.650 pontos, na mínima do dia.   Veja também: Com corte de juros nos EUA, bolsas asiáticas sobem Desemprego, a terceira fase da crise financeira global De olho nos sintomas da crise econômica  Dicionário da crise  Lições de 29 Como o mundo reage à crise    No mesmo horário, no Estados Unidos, os índices futuros dos mercados em Wall Street cediam cerca de 1%, devolvendo um pouco da euforia da véspera quando subiram mais de 4%, reagindo à decisão histórica do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) de baixar a taxa básica de juro de 1% para uma banda que varia de zero a 0,25% ao mesmo tempo em que sinalizou que usará operações de mercado aberto para promover liquidez aos mercados e estimular o crescimento econômico do país. Na Europa, as bolsas viraram ao longo da manhã e apenas Frankfurt registrava queda, de 0,38%. Paris subia 0,29% e Londres tinha valorização de 0,41%.   Na terça, a bolsa brasileira quase tocou os 40 mil pontos. Passada a euforia inicial, os investidores se voltam nesta quarta para os motivos por trás da decisão do Fed, especialmente a situação ruim dos mercados e da economia.   Mesmo assim, a expectativa é de que o mercado doméstico de ações continue evoluindo positivamente, se não surgir nenhuma surpresa ruim do lado externo, por conta do ajuste dos fundos nesse fim de ano. Segundo uma fonte, o trabalho dos gestores de fundos deve se concentrar, principalmente, em papéis de segunda e terceira linhas, que devem ter as cotações ajustadas para cima para ter um desempenho melhor no fechamento de 2008.   As ações de Petrobras, que ontem subiram mais de 4%, seguindo o Ibovespa, seguem no centro das atenções por causa da reunião da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), que deve cortar a produção em 2 milhões de barris por dia, e da divulgação dos estoques semanais da matéria-prima (commodity)nos Estados Unidos. No horário citado acima, os papéis ordinários (ON) e preferenciais (PN) da estatal petrolífera caíam 0,35% e 0,08%, respectivamente.

Tudo o que sabemos sobre:
Crise FinanceiraCrise nos EUABovespa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.