Bovespa segue mercados de NY e tem segunda alta em julho

Bolsa de São Paulo sobe 0,76%, com valorização do dólar e conseqüente queda nos preços do petróleo

Claudia Violante, da Agência Estado,

08 de julho de 2008 | 17h54

A recuperação das bolsas norte-americanas na última hora de pregão ajudou a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) a também mudar o sinal e fechar em alta, pela segunda vez em julho. O principal patrocinador da elevação desta terça-feira, 8, em Nova York e aqui, foi a queda do petróleo, que teve um empurrão do presidente do Fed de Richmond, Jeffrey Lacker, com declarações que ajudaram a fortalecer o dólar. Veja também:Petróleo cai e fecha com maior queda em dólares desde 91 Com tudo isso, a Bolsa fechou com elevação de 0,76%, na máxima pontuação do dia, aos 59.536,0 pontos. Na mínima, atingiu 57.945 pontos (-1,93%). No mês, acumula perdas de 8,43% e, no ano, de 6,81%. O volume financeiro totalizou R$ 5,366 bilhões (preliminar). Em Wall Street, o Dow Jones encerrou com avanço de 1,36%, aos 11.384,2 pontos, o S&P, +1,71%, aos 1.273,69 pontos, e o Nasdaq, +2,28%, aos 2.294,42 pontos. Depois de um dia todo operando em baixa, os principais índices de ações norte-americanas viraram para cima na última hora de sessão diante da queda nos contratos futuros de petróleo, vigor do dólar e comentários do presidente do Federal Reserve, Ben Bernanke, que deram suporte ao setor financeiro.  Pela manhã, Bernanke insinuou que a autoridade monetária continuará apoiando o setor financeiro, o mais afetado nesta crise originária no segmento subprime. De tarde, o presidente do Federal Reserve de Richmond, Jeffrey Lacker, deu um empurrãozinho ao fortalecimento do dólar ao defender que as autoridades monetárias elevem os juros mesmo que a taxa de desemprego continue crescendo. Ao longo do dia, no entanto, os investidores operaram predominantemente na ponta vendedora, temendo a temporada de balanços que começa nesta quinta com os números da Alcoa, e também repercutindo os números ruins sobre vendas pendentes de moradia. No Brasil, além da tendência negativa vinda de Nova York, a queda do petróleo e das commodities metálicas também pesava, assim como o feriado amanhã em São Paulo, que fez com que muitos investidores evitassem fazer muitas apostas, diante do que pode acontecer no mercado internacional nesta quarta-feira. No final do dia, com a melhora em Wall Street, alguns destes investidores optaram por zerar a posição vendida e aproveitar algumas ações mais baratas. Vale PNA foi uma das ações beneficiadas na recuperação no final da tarde e subiu 0,42% no fechamento. As ações ON caíram 1,09%. Petrobras não teve a mesma sorte e fechou em queda de 3,15% as PN e 2,98% as ON. Na Nymex, o contrato para agosto do petróleo recuou 3,77%, para US$ 136,04.

Mais conteúdo sobre:
Bovespa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.