Bovespa segue NY e sobe com Livro Bege e balanços nos EUA

O Livro Bege divulgado pelo Federal Reserve (BC norte-americano), ontem à tarde, mostrando que o crescimento da atividade nos EUA segue em ritmo modesto, manteve acesa a expectativa de um novo programa de estímulo econômico, o que fez com que o dólar caísse mais no mercado global e as bolsas tivessem um dia de recuperação. Os balanços corporativos norte-americanos também ajudaram. A Bovespa recuperou-parte do tombo da véspera, impulsionada pelas bolsas norte-americanas, que subiram ao redor de 1%. O Ibovespa ganhou 0,77%, aos 70.404,68 pontos.

Cenário: Rosangela Dolis, O Estado de S.Paulo

21 de outubro de 2010 | 00h00

No Brasil, a queda do dólar foi contida pelo efeito do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) de 6% para o capital estrangeiro na renda fixa e no mercado futuro, em vigor desde terça-feira. Além disso, o fato de o real ser a moeda emergente que mais se valorizou (88,7%) desde dezembro de 2003 também ajudou a limitar o tamanho da perda do dólar internamente, destacou um operador de uma corretora. Assim, o dólar no balcão recuou 0,65%, para R$ 1,6750.

Após a disparada da véspera, os juros futuros passaram por uma correção técnica apesar dos indicadores salgados de inflação divulgados, o IPCA-15 de outubro e a 2ª prévia do IGP-M deste mês. A expectativa pela decisão do Copom, que foi anunciada após o fechamento dos mercados, não influenciou os negócios, porque ninguém apostava em mudança na taxa básica de juros.

A taxa para janeiro de 2012 caiu a 11,27%, de 11,32% no ajuste anterior; e o juro de janeiro de 2014 cedeu de 11,70% para 11,64%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.