Bovespa segue Wall St e sobe à espera de corte de juro nos EUA

A expectativa de um novo corte dejuros nos Estados Unidos animou Wall Street, imprimindo umritmo de recuperação à Bolsa de Valores de São Paulo nestasegunda-feira. O Ibovespa fechou em alta de 1,97 por cento, aos 58.593pontos. O volume negociado no pregão foi de 6,2 bilhões dereais. Apesar da recuperação, o mercado continua volátil. Ostemores de que a economia norte-americana esteja mais próximade uma recessão continuam a instigar a instabilidade dosnegócios, afetando mercados da Ásia à Europa.Para Roberto Luis Troster, sócio da financeira Integral Trust,a volatilidade dos mercados externo e interno deve continuar aolongo desta semana e provavelmente na próxima. Ele ressaltou, porém, que o Brasil está bem preparado paraenfrentar o cenário externo desfavorável. "É a primeira vez quetemos uma crise de fora para dentro e estamos preparados. Temosuma boa reserva financeira", afirmou. "A queda dos juros nos EUA não é um bom sinal, é um recursoque mostra que a crise é séria. Ainda não se sabe se é algo quevai durar alguns meses ou até um ano", ponderou Troster. Na semana passada, o Fed surpreendeu o mercado e cortou ojuro básico em 0,75 ponto percentual, para 3,5 por cento. Apróxima decisão do banco central dos EUA, desta vez em reuniãoformal, sai na quarta-feira. Também na quarta-feira o mercado também espera a divulgaçãodo Produto Interno Bruto (PIB) dos EUA no quarto trimestre. DADOS FRACOS NOS EUA Segundo o economista Daniel Gorayeb, analista da corretoraSpinelli, alguns dados ruins divulgados nos EUA nestasegunda-feira cooperaram para o aumento das expectativas decorte do juro. Entre eles estão as vendas de imóveis novos quecaíram 4,7 por cento em dezembro, para o menor nível dosúltimos 13 anos. "Apesar dos dados serem ruins, o mercado entendeu isso comoum fator que vai pressionar ainda mais o Fed a cortar juros ereagiu de forma positiva", disse Gorayeb, acrescentando que ocentro das apostas do mercado está num corte de 0,50 pontopercentual. Ele também acredita que o mercado vai continuar volátil nospróximos dias. "Há uma incerteza sobre o tamanho das perdas nomercado de crédito nos EUA", afirmou o economista. Gorayebafirmou que é difícil prever até quando essas incertezaspermanecerão. Entre as ações com mais peso para o desempenho final doIbovespa, as da Vale apresentaram alta de 0,26 por cento, a50,25 reais. As ações da Petrobras estiveram entre as maioresvalorizações do dia: de 5,38 por cento, sendo negociadas a80,87 reais. Ainda entre as maiores altas, destacaram-se a Telemar, comavanço de 7,87 por cento, e Vivo, com valorização de 6,99 porcento. (Reportagem de Cláudia Pires)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.