Bovespa: sistema Home Broker será auditado

Com o objetivo de dar maior transparências e confiabilidade às operações realizadas pelas corretoras que atuam pelo sistema Home Broker - compra e venda de ações pela Internet -, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) determinou que a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) contrate uma empresa de auditoria para acompanhar o sistema de operação das corretoras. Para isso, a Bovespa inicia nesse mês um processo de seleção da empresa que será responsável por esse trabalho.De acordo com Ana França, superintendente geral da CVM, a deliberação da Comissão foi motivada pela denúncia de um investidor que sentiu-se prejudicado pelo desencontro de informações entre a sua corretora e a Bovespa. Isso resultou em divergência entre a relação de ordens de compra e venda de opções de ações divulgada no site da sua corretora e a lista apresentada pela Bovespa. O investidor reclama que sua ordem, dada primeiro, foi colocada em segundo plano diante de uma ordem de um investidor de maior porte. O caso está em análise na CVM, mas ainda não há um parecer final.CVM: Bolsa poderia criar auditoria permanenteO sistema Home Broker é oferecido por 24 corretoras listadas na Bovespa. Antes de colocar o serviço em operação, as corretoras passam por um período de teste e adaptação de seus sistemas. "A Bolsa abre um canal de comunicação com a corretora onde são enviadas as cotações dos papéis à corretora e essa, por sua vez, envia informações simulando compra e venda das ações", explica Luiz Gonzaga, diretor de informática da Bovespa. Nessa operação é a Bolsa quem averigua a eficiência do sistema de comunicação com a corretora.Quanto aos sistemas de divulgação das informações das corretoras para seus cliente, não há uma padronização e é nesse processo que a CVM está exigindo que a Bovespa coloque uma empresa de auditoria para verificar a eficácia dos procedimentos. Mas isso não é garantia de que o investidor não terá mais riscos nas operações por Home Broker, alerta Luiz Gonzaga. "A qualquer alteração no site da corretora, a forma de transmissão das informações para a Bovespa e para os clientes pode ser alterada" explica o diretor. Com isso, o resultado da auditoria deixa de ser válido.Gonzaga explica que a Bolsa é responsável pela primeira checagem do sistema de transmissão de informações entre a Bolsa e a corretora. Porém, caso altere seu sistema, cabe à corretora avisar a Bolsa e pedir novo teste para a Bovespa, afirma Gonzaga. "Também é responsabilidade da corretora o conteúdo das informações disponíveis em seu site e das conseqüências das mudanças todas as vezes que o sistema for alterado" diz o diretor da Bovespa.Para tentar diminuir esse risco, a CVM estuda tornar essa auditoria permanente. Dessa forma, mesmo que as corretoras não comunicassem alterações em seus sistemas à Bolsa, o procedimento constante de checagem dos sistemas de informações poderia detectar falhas com mais rapidez. Fabrício Mello Rodrigues da Silva, analista de mercado da CVM, afirma que a Bolsa, como entidade reguladora das corretoras, poderia, independentemente de instruções da CVM, tornar a verificação dos sistemas uma prática constante, de forma a dar maior segurança aos usuários do Home Broker.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.