Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Bovespa sobe 0,5% em sessão sonolenta por feriado nos EUA

Sem a referência de Wall Street, a maior parte dos investidores preferiu ficar de fora dos negócios na Bovespa, que teve nesta segunda-feira a sessão de volume mais fraco do ano.

ALUÍSIO ALVES, REUTERS

25 de maio de 2009 | 17h52

O Ibovespa fechou com valorização de 0,49 por cento, aos 50.816 pontos. O giro financeiro foi de modestos 1,55 bilhão de reais, o menor desde 26 de dezembro.

"Sem Nova York e Londres, foi um dia horroroso de volume", disse Roberto Alem, economista da M2 Investimentos.

Nos Estados Unidos, a comemoração do Memorial Day deixou as bolsas de valores de Nova York fora de circulação. Em Londres foi o Spring Holiday que paralisou os negócios locais com ações.

Assim, restou olhar para outros mercados europeus e o segmento de metais, setores em que a movimentação predominante foi levemente positiva.

Foi o suficiente para atrair novas ordens de compra para as blue chips domésticas ligadas ao setor. Em destaque, o papel preferencial da Usiminas ganhou 2,05 por cento, a 35,36 reais. Companhia Siderúrgica Nacional subiu 1,3 por cento, cotada a 43,40 reais.

Na outra ponta, uma realização de lucros com papéis isolados elegeu as piores do índice. Sadia, uma das campeãs recentes de ganhos depois de ter sido comprada pela Perdigão, caiu 1,2 por cento, para 4,95 reais.

De acordo com Alem, a expectativa dos investidores por importantes indicadores macroeconômicos que serão divulgados ao longo da semana também pesou na decisão dos investidores de evitar transações com lotes maiores.

Entre os dados esperados para a semana estão o do Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos do primeiro trimestre, além dos resultados de pesquisas sobre o mercado imobiliário norte-americano.

Tudo o que sabemos sobre:
BOVESPAFECHAFINAL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.