Fabio Motta/Estadão
Fabio Motta/Estadão

Juros

E-Investidor: Esperado, novo corte da Selic deve acelerar troca da renda fixa por variável

Petrobrás se recupera e puxa alta da Bovespa

Investidores mostraram otimismo com o futuro da estatal e a Bolsa fechou com valorização de 1,58%

Fabrício de Castro, O Estado de S. Paulo

26 de junho de 2015 | 17h31

A Bovespa passou hoje por um dia de recuperação, após o recuo firme de ontem e em função do otimismo com o futuro da Petrobrás. A Bolsa brasileira subiu 1,58%, aos 54.016,97 pontos, deixando de lado o cenário visto em Nova York, onde os principais índices de ações terminaram em sentidos mistos.

Após a Bovespa cair 1,24% ontem, muitos investidores começaram esta sexta-feira em busca de ações, em meio à avaliação de que o recuo havia sido exagerado. Os papéis da Petrobrás ajudavam o índice à vista, com o mercado atento a possíveis desdobramentos da reunião do conselho da estatal, durante o dia. 

A possibilidade de a Petrobrás reduzir em até 40% os investimentos a serem feitos nos próximos cinco anos era bem vista e ajudava a sustentar os papéis. Do mesmo modo, existe a expectativa de que o Congresso possa votar pelo fim da exigência de que a Petrobrás participe com pelo menos 30% nos consórcios de exploração do pré-sal. 

Neste cenário, Petrobrás ON disparou 4,79% e a ação PN da estatal subiu 4,84%. Com o movimento quase generalizado de recuperação e correção de preços, Vale ON avançou 1,55% e o papel PNA da estatal teve alta de 1,21%.    

  

Na mínima do dia, o Ibovespa marcou 53.151 pontos (-0,05%) e, na máxima, 54.076 pontos (+1,69%). Na semana, acumulou valorização de 0,50% e, no mês, sobe 2,38%. No acumulado de 2015, há alta de 8,02%. O giro financeiro totalizou R$ 5,500 bilhões. 

No exterior, o cenário manteve-se nebuloso. As bolsas europeias fecharam sem uma direção única nesta tarde, com a de Londres em baixa de 0,79% e a de Paris e de Frankfurt em alta de 0,35% e 0,17%, respectivamente. Como pano de fundo estão as preocupações sobre o futuro da Grécia na zona do euro. Neste fim de semana, as negociações entre Atenas e credores continuam. Em Nova York, os principais índices também adotam sentidos divergentes: o Dow Jones subiu 0,32%, aos 17.947,02 pontos, mas o S&P 500 e o Nasdaq caíram 0,30% e 0,98%, nesta ordem, aos 2.101,61 pontos e 5.080,51 pontos.

Dólar. A tendência principal para o dólar no exterior era de alta ante as demais divisas de países emergentes e ante o euro nesta sexta-feira. No Brasil, a moeda americana oscilou em margens estreitas, mas se firmou em alta no período da tarde, completando a quarta sessão consecutiva de ganhos. Contudo, o movimento foi mais brando do que o visto lá fora, até porque a moeda americana já havia subido muito nos últimos dias por aqui.  O dólar à vista de balcão subiu 0,26% hoje, aos R$ 3,1280, acumulando ganhos de 0,87% na semana e de 1,53% nos últimos quatro dias. 

Tudo o que sabemos sobre:
bovespapetrobras

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.