Marcello Casal Jr/Agência Brasil
Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Bovespa sobe 0,9% e retoma patamar pré-crise política com expectativa de vitória de Temer na Câmara

Marca dos 67 mil pontos não era alcançada desde 17 de maio, antes das delações da JBS

REUTERS

02 Agosto 2017 | 17h34

O principal índice da Bolsa brasileira, o Ibovespa, fechou em alta nesta quarta-feira e recuperou o patamar de 67 mil pontos, observado antes das delações da JBS, diante da sinalização de que a Câmara dos Deputados deve rejeitar a admissibilidade de denúncia contra o presidente Michel Temer.

O Ibovespa fechou em alta de 0,93%, a 67.135 pontos. A marca dos 67 mil pontos não era alcançada desde 17 de maio, quando o Ibovespa fechou a 67.540 pontos, antes da delação de executivos da empresa dos irmãos Batista, que deram base à denúncia contra Temer por corrupção passiva.

O volume financeiro do pregão ganhou fôlego e somou R$ 9,69 bilhões, muito acima da média diária vista no mês passado, de R$ 6,36 bilhões e superior também à média diária para o ano até a véspera, de R$ 7,9 bilhões.

O mercado acionário abriu o dia com variações mais contidas, ganhando tração conforme crescia a expectativa por um parecer favorável a Temer, após a Câmara aprovar um requerimento para encerrar a fase de discussão em plenário sobre análise da denúncia, com 292 votos a favor. Pouco antes do fechamento dos negócios, a etapa de votação da denúncia começou, com a fase de orientação dos partidos.

"Se hoje o resultado for favorável ao governo há grande chance de amanhã (o Ibovespa) bater os 68 mil pontos novamente", disse o gerente de renda variável da corretora H.Commcor Ari Santos.

O noticiário corporativo também seguiu movimentado nesta sessão, com as ações Cielo liderando as perdas do índice e registrando também o maior giro financeiro entre os papéis da bolsa no pregão, com R$ 661,9 milhões.

 

 

Mais conteúdo sobre:
Michel Temer dólar Mercado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.