Agência Estado
Agência Estado

Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Bovespa sobe 5% e dólar fecha em queda de 1,61%

Entrada de estrangeiros no mercado brasileiro puxa Bolsa doméstica para cima e faz moeda fechar a R$ 2,076

Reuters,

18 de maio de 2009 | 17h00

O dólar fechou em queda ante o real nesta segunda-feira, em meio à entrada de recursos no mercado doméstico e ao bom humor das bolsas de valores. O dólar encerrou a sessão em baixa de 1,61%, cotado a R$ 2,076 para venda. "O motivo maior hoje é a Bolsa (de valores). A volta dos estrangeiros fez com que o dólar caísse", avaliou o diretor de câmbio do Banco Paulista, Tarcísio Rodrigues. Às 17h05, a Bovespa subia 5%, aos 51.459 pontos.

 

Veja também:

especialEntenda a trajetória de valorização do real

especialAs medidas do Brasil contra a crise

especialAs medidas do emprego

especialDe olho nos sintomas da crise econômica 

especialDicionário da crise 

especialLições de 29

especialComo o mundo reage à crise

 

 

Nos Estados Unidos, os índices acionários operavam em alta, à medida que resultados melhores que o esperado e uma perspectiva acima do previsto para a Lowe, rede de lojas de reforma e construção, alimentavam esperanças de que a queda da economia está arrefecendo e que os gastos dos consumidores estão se estabilizando. Segundo dados preliminares, o Dow Jones fechou em alta de 2,85%, enquanto o Nasdaq subiu 3,11% e o S&P 500 3,03%.

 

Em âmbito global, o dólar também se desvalorizava. Ante uma cesta com as principais moedas mundiais, a divisa norte-americana caía 0,3% no final da tarde.

 

Em meio ao ambiente positivo nos mercados financeiros, o Banco Central realizou mais um leilão de compra de dólares no mercado à vista. "Eu acho que o BC tem um piso para o dólar em torno de 2,10 reais. Quando as cotações caem abaixo disso, ele começa a agir por conta dos exportadores", considerou Rodrigues.

 

Para Marcos Forgione, operador de câmbio na B&T Corretora de Câmbio, o BC está utilizando os leilões para recompor as reservas internacionais. "Ele (BC) está aproveitando o momento de queda do dólar para comprar a um melhor preço."

 

Forgione também disse que as condições econômicas do Brasil ainda são favoráveis para que estrangeiros continuem a trazer recursos para o país. Assim, segundo ele, no curto prazo pode-se observar que a tendência para a moeda norte-americana ainda é de queda.

 

No mercado de câmbio doméstico, segundo os últimos dados da BM&F, o volume de dólar negociado no segmento à vista somava US$ 1,4 bilhão.

Tudo o que sabemos sobre:
mercado financeiroBovespaDólar

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.