Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Bovespa sobe com caça a pechinchas

Após cair 3,21% em dois pregões, índice paulista avançou 0,96%, mas giro financeiro foi o mais baixo de agosto

Claudia Violante, Denise Abarca e Silvana Rocha, O Estadao de S.Paulo

19 de agosto de 2009 | 00h00

As fortes quedas das Bolsas nas sessões anteriores e uma melhora das expectativas econômicas na Alemanha estimularam compras de ações consideradas baratas, o que amparou os ganhos dos índices acionários globais ontem. A disposição em assumir riscos foi apenas reduzida em parte após os dados de inflação e da construção civil nos Estados Unidos mostrarem baixa atividade e indicarem que a retomada da economia é bem mais lenta do que se previa. A Bovespa subiu 0,96%, aos 55.748,92 pontos, após ceder 3,21% em dois pregões. Os destaques foram os setores voltados para o mercado doméstico. Mas o volume financeiro, de R$ 4,104 bilhões, foi o menor do mês, o que mostrou pouco interesse dos investidores em tomarem posição mais firme. Em Nova York, o índice Dow Jones ganhou 0,90% e o Nasdaq, 1,30%. No mercado de juros, a melhora no exterior desviou as taxas da rota de queda das últimas sessões, impondo leve ajuste de alta, com a ajuda dos dados de emprego em julho no Brasil que mostraram o melhor resultado do ano. O juro de janeiro de 2011 avançou a 9,59%. O dólar caiu 1,23%, a R$ 1,845 no balcão, após subir 1,97% em dois dias.FRASEAna Cristina CostaEconomista-chefe do Bradesco Asset Management''Mercado de trabalho ainda está fragilizado. Números do Caged não mostram cenário conclusivo sobre ritmo de crescimento. Única certeza é que pior ficou para trás''

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.