Bovespa sobe com Vale e Petrobrás

Índice paulista ganha 2,64% e termina na pontuação máxima puxado pelo avanço nos preços de commodities

Claudia Violante, Silvana Rocha e Alessandra Taraborelli, O Estadao de S.Paulo

05 de junho de 2009 | 00h00

A Bovespa retomou os ganhos após cair 4,40% nas duas sessões anteriores e subiu 2,64%, ontem, fechando na pontuação máxima, aos 53.463,90 pontos. O índice paulista foi puxado pelas ações da Vale e Petrobrás, neste caso com ajuda do petróleo. Vale PNA avançou 2,27%, a R$ 32,42, e Petrobrás PN, 2,84%, a R$ 34,09. Os indicadores nos EUA mostrando aumento da produtividade e queda nos novos pedidos de auxílio-desemprego também ampararam esse desempenho positivo. Em Nova York, o Dow Jones subiu 0,86% e o Nasdaq, 1,32%. A expectativa sobre o relatório do mercado de trabalho dos EUA em maio, que sai hoje, limitou a valorização das ações. As decisões dos bancos centrais na Europa pela manutenção dos juros básicos na zona do euro, em 1% ao ano, e na Inglaterra, em 0,5% ao ano, ajudaram a tirar força do dólar. A moeda norte-americana caiu ante as euromoedas e as divisas de países emergentes. O declínio em relação ao real foi mais acentuado por causa dos fundamentos favoráveis do Brasil e de movimentos técnicos. O dólar à vista subiu 1,07%, a R$ 1,942 no balcão. Os juros futuros ficaram estáveis. A taxa de janeiro de 2010 fechou a 9,04%. FRASECristiano Souza Econ. do banco Santander ao AE Broadcast Ao Vivo"Pode demorar ainda para a economia dos EUA deixar o fundo do poço para trás. Dado do mercado de trabalho no país não é indicativo de retomada de crescimento"

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.