Bovespa sobe com Wall St após balanços corporativos nos EUA

O principal índice da Bovespa subiu nesta quarta-feira, seguindo o movimento de Wall Street, que foram influenciados pelos balanços corporativos dos Estados Unidos acima das expectativas, além do dado de moradias.

ROBERTA VILAS BOAS, Reuters

20 de julho de 2012 | 13h32

O Ibovespa subiu 1,25 por cento, a 54.583 pontos. O giro financeiro do pregão foi de 4,9 bilhões de reais.

Em Wall Street, o índice Dow Jones ganhou 0,81 por cento, enquanto o Standard & Poor's avançou 0,67 por cento.

"Dados corporativos dos Estados Unidos tem vindo positivos. O Bank of America veio com resultado interessante... O mercado financeiro lá tem se mostrado resiliente, e isso sugere que tem espaço para recuperação na bolsa, mas ainda há preocupação com a macroeconomia", disse André Perfeito, economista na Gradual Corretora.

O Bank of America teve lucro líquido de 2,5 bilhões de dólares no segundo trimestre, ou 0,19 dólar por ação. Um ano antes o banco havia sofrido prejuízo de 8,8 bilhões de dólares.

Segundo Perfeito, o mercado permanece nervoso e atento ao cenário externo. "Tanto que o Bernanke ontem gerou temor e euforia", disse, em referência as declarações do presidente do Federal Reserve (Fed), ao Senado, na véspera.

Ben Bernanke voltou a discursar nesta quarta-feira, dessa vez na Câmara dos Deputados, mas assim como na terça-feira, não anunciou novas medidas para incentivar a economia norte-americana.

Mais cedo, o Departamento do Comércio do país informou que o ínicio de construções de novas moradias cresceu no maior ritmo em mais de três anos em junho, dando alento a uma economia que tem mostrado sinais preocupantes de esfriamento.

Entre as ações do Ibovespa, a maior alta foi registrada pelas ações do Banco do Brasil, com ganhos de 6,98 por cento, a 19,47 reais, na máxima do dia.

Dessa forma, o papel anulou as perdas que acumulava na semana, passando a ter alta de 3,5 por cento.

No setor de bancos, Itaú Unibanco teve ganhos de 2,39 por cento, a 29,59 reais, enquanto Santander subiu 2,97 por cento, a 14,55 reais.

Construtoras também influenciaram positivamente, com Gafisa em alta de 4,72 por cento, a 2,44 reais, e PDG Realty com ganhos de 3,48 por cento, a 3,27 reais.

Entre as blue chips, a preferencial da Petrobras subiu 0,42 por cento, a 19,33 reais, enquanto a da Vale teve leve queda de 0,36 por cento, a 38,60 reais.

Na outra ponta, as ações de telecomunicações influenciaram negativamente. A preferencial da Oi teve queda de 4,48 por cento, a 9,17 reais, enquanto a da TIM perdeu 2,77 por cento, a 9,46 reais.

Ainda pela tarde, notícias informavam que a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) iria anunciar punições as maiores operadoras do Brasil, por reclamações de clientes.

Após o fim das negociações, a Agência informou que as vendas da TIM estão supensas em 19 estados, enquanto as da Oi foram suspensas em 5 estados.

Tudo o que sabemos sobre:
BOVESPAFECHAFINAL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.