Bovespa sobe e dólar desacelera alta com melhora em NY

Após cair mais de 2% no começo do dia, Bolsa de São Paulo inverte tendência; dólar fecha a R$ 1,818

Claudia Violante e Paula Laier, da Agência Estado,

22 de outubro de 2007 | 16h42

A melhora dos índices acionários em Wall Street deu fôlego à Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), que inverteu o rumo e opera em alta nesta tarde. A Bolsa paulista já tinha ensaiado o terreno positivo na hora do almoço, mas não havia conseguido se sustentar naquele momento.   Às 16h23, o principal índice da Bolsa subia 0,53%, aos 61.215 pontos. O Dow Jones subia 0,33%, aos 13.566,5 pontos, o Nasdaq, 0,98%, aos 2.751,90 pontos, e o S&P, 0,34%, aos 1.505,79 pontos.   O dólar, por sua vez, acompanhou a volatilidade dos mercados internacionais e fechou em alta, acima do patamar de R$ 1,80. A moeda norte-americana teve valorização de 0,66%, terminando a sessão a R$ 1,818.   De acordo com Ures Folchin, da tesouraria do banco WestLB no Brasil, a redução da alta do dólar em relação ao real refletiu o alívio no mercado internacional, com as declarações sobre um cessar-fogo no norte do Iraque e a reversão perdas do índice acionário S&P em Nova York.   Na Bovespa, as ações da Petrobras e da Vale do Rio Doce seguiam em queda, mas as perdas diminuíram em relação ao auge da manhã. Isso deu espaço para que a alta de outros setores - como telecomunicações e energia - se sobressaísse. Segundo uma fonte do mercado, os papéis de segunda linha estavam mais defasados em relação às blue chips e os investidores aproveitam a queda do Ibovespa nos últimos dias para comprar algumas destas opções baratas.   Vale lembrar que os metais caíram nesta segunda no exterior e impactaram as ações de mineradoras na Europa. Além disso, o Citigroup rebaixou a recomendação das mineradoras britânicas Rio Tinto, BHP Billiton, Anglo American, Vedanta Resources e Kazakhmys de "compra" para "manter". Se realmente ocorrer uma desaceleração na economia norte-americana - com reflexos pelo restante do globo - a demanda por commodities diminui e os preços, caem.   O petróleo também opera em baixa. Na Nymex, às 15h43, o contrato de petróleo para novembro era negociado a US$ 87,43, em baixa de 1,32%.

Tudo o que sabemos sobre:
Bovespadólar

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.