finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Bovespa sobe pelo 3º dia consecutivo e avança 4,5% na semana

O Ibovespa subiu 2,67% nesta sessão, para 55.241 pontos. O volume financeiro ficou em R$ 5 bilhões, acima da média diária do ano

JULIANA SIQUEIRA, REUTERS

08 de agosto de 2007 | 18h36

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou em alta pelo terceiro dia seguido nesta quarta-feira, depois que comentários feitos pelo Federal Reserve (banco central dos Estados Unidos) na véspera atenuaram preocupações sobre o impacto dos problemas do crédito imobiliário de risco sobre a economia norte-americana. O Ibovespa - que mede o desempenho das ações mais negociadas da Bolsa - subiu 2,67% nesta sessão, para 55.241 pontos, acumulando ganho de 4,5% na semana. O volume financeiro ficou em R$ 5 bilhões, acima da média diária do ano. Dos 59 papéis do Ibovespa, apenas dois caíram. As duas ações mais negociadas, Companhia Vale do Rio Doce e Petrobras, avançaram 2,76% e 3,74%, respectivamente.Na tarde de terça-feira o Fed disse que a crise do setor imobiliário não vai interromper o crescimento econômico moderado dos Estados Unidos. "O mercado está bem mais calmo mas eu ainda não arriscaria dizer que o pior já passou, por causa do subprime nos Estados Unidos. O mercado está vivendo o dia-a-dia", disse Carlos Alberto Ribeiro, diretor da Novação Distribuidora.O Ibovespa chegou a perder quase 9% em apenas quatro pregões do fim de julho diante de preocupações com o impacto dos problemas do setor de crédito imobiliário de risco (subprime) sobre o restante da economia. Em Nova York, o Dow Jones subiu 1,14% e o Nasdaq disparou 2%. Na Europa, o índice FTSEurofirst 300 exibiu alta de quase 2%.Um dado de inflação (IPCA) divulgado esta manhã contribuiu para o otimismo do mercado, ao vir em linha com o esperado e sinalizar que as pressões sobre os preços estão contidas no país. LucrosO mercado acionário também foi impulsionado por lucros divulgados entre a noite da véspera e esta manhã.Nos Estados Unidos, a Cisco Systems divulgou lucro acima do esperado e o presidente-executivo da empresa, John Chambers, disse que a economia mundial está no mais forte ritmo que já viu, apesar de prever alguns solavancos nos Estados Unidos nos próximos trimestres.No Brasil, Braskem reverteu o prejuízo anterior para ganhos. As ações da maior petroquímica da América Latina avançavam 3,55%."O resultado da Braskem foi bom, favorecido por receita não recorrente com a contabilização do ganho de PIS/Cofins no valor de R$ 104 milhões. Exclusive esse tal ganho não recorrente o resultado veio ligeiramente maior que o esperado", afirmou o analista Marcos Paulo Fernandes Pereira, da corretora Fator em resultado.

Tudo o que sabemos sobre:
Mercado financeiroBovespa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.