carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Bovespa tem ganho de 0,80%; Dólar cai

O Ibovespa, principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo, conseguiu nesta quarta-feira recuperar o patamar de 36 mil pontos, animado por novo dia de boa alta de suas principais ações, Petrobras e Companhia Vale do Rio Doce. Além disso, o dólar comercial encerrou em queda de 0,27%, a R$ 2,187.O índice fechou com valorização de 0,80%, aos 36.105 pontos, após oscilar entre a mínima de -0,58% e a máxima de +0,82%. O volume negociado ficou em R$ 2,24 bilhões.A ação preferencial da Petrobras terminou o dia na máxima, com ganho de 2,56% e a ação preferencial classe A da Vale teve valorização de 2,99%. Após terem caído muito nos últimos dias, os papéis transformaram-se em oportunidades de compra. A Petrobras, em particular, beneficiou-se da alta no preço do petróleo. O barril para novembro subiu 3,20%, para US$ 62,69, na Bolsa Mercantil de Nova York.A Bolsa paulista foi puxada também pela alta no mercado nova-iorquino. Nos Estados Unidos, foi divulgado hoje o resultado das vendas de imóveis novos, que subiram 4,1% em agosto, na contramão das estimativas. Analistas ouvidos pela Dow Jones esperavam queda de 2,5% nas vendas. O dado aliviou um pouco o receio de enfraquecimento forte no mercado imobiliário, repercutindo positivamente nas bolsas.DólarO mercado de câmbio retomou nesta quarta a tranqüilidade que tinha abandonado na quinta-feira da semana passada. O clima já havia sido menos tenso na terça, quando o dólar caiu 1,17%, encerrando o dia a R$ 2,193. Mas a volatilidade era maior e os operadores disseram que, hoje, o comportamento do mercado doméstico de câmbio esteve mais condizente com momentos de estabilidade.No mercado interbancário, o dólar comercial encerrou em baixa de 0,27%, cotado a R$ 2,187, após oscilar entre a mínima de R$ 2,182 e a máxima de R$ 2,191. No pregão viva-voz da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), o dólar negociado à vista registrou desvalorização de 0,23%, fechando a R$ 2,188. Vários fatores contribuíram para a forma amena em que decorreram as transações com o dólar hoje. Um deles foi a confirmação, na terça, de que o Banco Central não rolará cerca de US$ 800 milhões do vencimento de contratos de swap cambial reverso do próximo dia 2 de outubro, que totaliza US$ 1,6 bilhão. À decisão do BC sobre o vencimento de swaps somaram-se notícias externas positivas e o conseqüente comportamento favorável dos principais mercados internacionais, além do fluxo positivo de recursos por aqui. Segundo o Departamento do Comércio dos EUA, as vendas de residências novas daquele país aumentaram 4,1%, para a média anualizada de 1,050 milhão de unidades, em agosto.

Agencia Estado,

27 de setembro de 2006 | 19h16

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.