Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Bovespa tem leve alta e garante 5º dia de ganhos

Bolsa encerrou a quinta-feira com ganho de 0,2%, a 51.848 pontos, mas na mínima do dia chegou a perder 1,3%. Agora o Ibovespa acumula baixa de 4,3% em agosto

Reuters,

23 de agosto de 2007 | 17h56

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) registrou leve valorização nesta quinta-feira, após os ajustes de fechamento do pregão. Foi a quinta alta seguida depois da derrocada vista na primeira parte de agosto, pelo aumento da aversão a risco deflagrada por problemas no setor de crédito imobiliário dos Estados Unidos. O Ibovespa - índice que mede o desempenho das ações mais negociadas na Bolsa - encerrou a quinta-feira com ganho de 0,2%, a 51.848 pontos, mas na mínima do dia chegou a perder 1,3%. Agora o Ibovespa acumula baixa de 4,3% em agosto.O volume financeiro ficou em quase R$ 4,7 bilhões, levemente acima da média diária do ano, de R$ 4,3 bilhões."Acho que hoje está realizando um pouquinho, mas fechando em queda de 0,5%; 0,7%, está bom. Porque o mercado já está subindo há alguns dias e ontem subiu quase 4%. Não devolvendo parte dos ganhos, já é um bom sinal", disse Júnior Hydalgo, diretor da Trust Investimentos, pouco antes do fechamento da bolsa.Nos EUA, o índice Dow Jones fechou estável, mas o indicador de principais ADRs brasileiros (títulos de empresas brasileiras negociados no exterior) subiu 0,52%.As bolsas abriram em alta mas o humor dos investidores virou depois que o presidente-executivo da concessora de hipotecas dos EUA Countrywide, Angelo Mozilo, disse que o ambiente do mercado imobiliário norte-americano "certamente não está melhorando" e que o declínio do setor pode levar a maior economia do mundo à recessão.Os comentários ofuscaram a confiança gerada mais cedo pela notícia de que o Bank of America está injetando US$ 2 bilhões na Countrywide, maior concessora de hipotecas dos EUA.No Brasil, o IPCA-15 veio acima do esperado, reforçando apostas de redução do vigor do corte de juro no país, mas a informação teve pouco impacto no mercado acionário. "A atenção está lá fora. Amanhã (sexta-feira) tem um dado de venda de casas novas (nos EUA). O mercado inteiro está voltado para isso", complementou Hydalgo.Perto do fechamento, a agência de classificação de risco Moody''s elevou o rating do Brasil, deixando a nota a um passo do grau de investimento. Embora positiva, a medida já era esperada e segue os passos da Standard & Poor''s e da Fitch, tomada há alguns meses.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.