finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Bovespa tem leve alta por ações financeiras

O bom desempenho de ações dos setores de financeiro e de commodities sustentou o principal índice da Bovespa no fim da volátil sessão desta quinta-feira.

ALUÍSIO ALVES, REUTERS

17 de fevereiro de 2011 | 19h14

Nas pontas, o Ibovespa aproximou-se do teto de 68 mil e do piso de 67 mil pontos, antes de terminar o pregão valorizado em 0,17 por cento, aos 67.684 pontos. O giro financeiro do pregão foi de 5,98 bilhões de reais.

No topo do índice apareceram as empresas de cartões, que vinham numa espiral descendente nos últimos dias. Cielo, a líder de ganhos, deu um salto de 7,08 por cento, a 12,85 reais. Redecard, que anunciou pela manhã a substituição de seu presidente-executivo, ganhou 5,87 por cento, a 20,56 reais.

BM&FBovespa, que divulga seus resultados trimestrais nesta noite, também subiu, com alta de 1,97 por cento, a 11,90 reais. Entre os bancos, Itaú Unibanco avançou 0,95 por cento, para 38,21 reais.

As blue chips Petrobras e Vale, centro da aposta no mercado de opções de ações, que tem vencimento na próxima segunda-feira, pouco variaram. O papel preferencial da petroleira caiu 0,22 por cento, enquanto a da mineradora ganhou 0,3 por cento.

Banco do Brasil agradou analistas ao reportar lucro recorrente acima das expectativas, mas isso não foi o suficiente para impedir a realização de lucro que fez sua ação cair 0,64 por cento, a 31,23 reais, após alta de 11 por cento em quatro sessões.

"Reiteramos nossa recomendação de 'acima da média do mercado' para as ações do Banco do Brasil", afirmou o Itaú Unibanco em relatório, após comentar os resultados do BB.

Tudo o que sabemos sobre:
BOVESPAFECHAFINAL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.