Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Bovespa volta a subir e aponta para 8ª semana de recuperação

Ritmo dos negócios na Bolsa brasileira acompanha de perto a movimentação dos mercados norte-americanos

Sueli Campo, da Agência Estado,

08 de maio de 2009 | 15h01

A Bolsa de Valores de São Paulo voltou a subir nesta sexta-feira, 8, depois de ameaçar prolongar a realização de lucros da véspera. O ritmo dos negócios acompanha de perto a movimentação das bolsas norte-americanas, assimilando bem os resultados dos testes de estresses dos grandes bancos e o payroll melhor do que o consenso do mercado. Na máxima, o Ibovespa subiu 2,47%, aos 51.297 pontos, e na mínima tocou levemente o terreno negativo, ao marcar -0,01%. Às 14h57, a alta era de 1,40%, sugerindo engatar a oitava semana seguida de recuperação.

 

Veja também:

especialAs medidas do Brasil contra a crise

especialAs medidas do emprego

especialDe olho nos sintomas da crise econômica 

especialDicionário da crise 

especialLições de 29

especialComo o mundo reage à crise 

 

O fluxo estrangeiro diminuiu mas ainda se sobressai, segundo operadores. O giro sinalizado para o término desta jornada é de R$ 5 bilhões. Segundo gestores de renda variável, é saudável a Bolsa voltar a trabalhar na faixa de 48 mil e 50 mil pontos, no curto prazo, até que saiam mais indicadores econômicos reforçando os sinais de estabilização da economia global. Nesse momento de euforia nas bolsas, muitos especialistas vêm recomendando um pouco de cautela, o que contribui para desacelerar o ímpeto comprador dos investidores. Assim, o mercado volta a ficar à mercê de Nova York.

 

Os balanços de empresas brasileiras divulgados entre ontem à noite e hoje tiveram efeito localizado nos negócios, sem força suficiente para levar o mercado de um lado para o outro. As ações do varejo são destaque de baixa nesta sexta-feira, repercutindo os resultados de Lojas Americanas e B2W, companhia de varejo eletrônico que reúne sites como americanas.com e submarino. B2W ON puxava as perdas do Ibovespa, com -4,75%. A empresa apurou no primeiro trimestre deste ano um lucro líquido 64% menor, para R$ 8,034 milhões, ante igual período de 2008. Lojas Americanas recuava 1,74%, após ter divulgado lucro líquido de R$ 2,5 milhões no trimestre, uma queda de 78,6% ante o registrado em igual intervalo do ano passado. Lojas Renner também operava no vermelho, com -1,48%.

 

Mercado internacional

 

Em Wall Street, as bolsas iniciavam a tarde mostrando boa valorização, tendo com destaque as ações do setor bancário. Segundo anúncio oficial do governo norte-americano, dez das 19 maiores instituições financeiras dos EUA precisarão levantar um total de US$ 75 bilhões em capital - valor menor do que o estimado pelos investidores.

 

O payroll divulgado pela manhã também agradou, ao apontar eliminação de 539 mil empregos em abril, ante previsão dos analistas da Dow Jones de corte de 610 mil vagas. O resultado do payroll de abril contou com a ajuda das contratações temporárias do governo de olho no Censo de 2010, informou o Departamento de Trabalho dos EUA. A taxa de desemprego subiu para 8,9% em abril, exatamente como era esperado, o que significa a maior taxa em 26 anos.

 

Na Europa, os principais índices do mercado de ações terminaram em alta, impulsionados pelo avanço nos papéis do setor financeiro após a divulgação dos resultados dos testes de estresse dos bancos norte-americanos, na quinta-feira. O índice pan-europeu Dow Jones Stoxx 600 subiu 1,6%, para 209,51 pontos. Na semana, o índice teve alta de 4,63%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.