BP e Shell negam contato com Iraque

As gigantes de petróleo e gás BP PLC e Royal Dutch/Shell Group negam que tenham sido procuradas pelas autoridades de Bagdá sobre reiniciar as compras diretas de petróleo cru do Iraque. Representantes de ambas as empresas sugeriram que o país de origem das companhias, o Reino Unido no caso da BP e Reino Unido e Holanda no caso da Shell, provavelmente serve de fator importante em uma não aproximação. Os governos do Reino Unido e dos EUA já demonstraram claramente a sua oposição a Saddam Hussein. Ambas as empresas confirmaram que compram petróleo cru do Iraque com regularidade, mas através de "terceiros". No início desta semana, a francesa TotalFinaElf SA confirmou informações de que foi contactada pelas autoridades do Iraque sobre renovar os contratos de fornecimento de petróleo, porém ainda não tomou nenhuma decisão. A italiana Eni SpA e as espanholas Repsol-YPF SA e Cepsa, também mencionadas pela imprensa, não quiseram comentar a respeito.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.