BP espera investir US$ 1 bi no setor de álcool

No mesmo dia que a empresa do setor sucroalcooleiro Cosan anunciou a compra das operações da Esso no Brasil, a companhia petrolífera britânica BP ratificou a entrada na produção de etanol no País, com investimentos de US$ 1 bilhão no setor.Segundo os executivos da BP, o valor será destinado à aquisição, por R$ 100 milhões (US$ 59,8 milhões), de 50% da Tropical Bioenergia - joint venture formada até então pelo Grupo Santelisa Vale e pelo Grupo Maeda - à duplicação da destilaria de álcool em Edéia (GO) e para a construção de uma segunda unidade industrial, possivelmente no Estado goiano. Quando atingir a capacidade máxima de processamento, a moagem atingirá 9,6 milhões de toneladas de cana e a produção será de 870 milhões de litros de álcool por ano.Pelo acordo, cada companhia brasileira seguirá com 25% de participação na joint venture. A primeira destilaria, que começa a operar em dois meses, atingirá a capacidade máxima de produção em 2010, quando já estiver duplicada. "A única diferença entre as duas unidades é que a primeira vai produzir também açúcar", informou o executivo-chefe da Tropical, Pedro Maeda. De acordo com informações dos executivos, a vantagem de Goiás sobre os outros Estados para receber a segunda unidade está nas amplas áreas de pastagens capazes de ser convertidas em canaviais e nos incentivos fiscais.O investimento em ativos será todo nas plantas industriais e não há a previsão de compra de novas terras. No entanto, 80% da cana processada será produzida em áreas arrendadas pela Tropical. Os 20% restantes serão de fornecedores próprios. "A nossa intenção é dar alternativas aos produtores locais que já têm grãos e pecuária", informou Maeda. Segundo os diretores dos três grupos, a produção será basicamente destinada ao mercado interno, com a previsão de exportação para os principais mercados do exterior, como Estados Unidos, Ásia e União Européia. A logística de escoamento será multimodal, com caminhões, o uso das hidrovias dos rios Paranaíba e Tietê e ainda pelos dois alcooldutos previstos para serem construídos: um em sociedade da Copersucar, Cosan e Crystalsev, da qual a Santelisa Vale é acionista majoritária, e outro pela união de Petrobras, Mistui e Camargo Corrêa.PetróleoO diretor da BP no Brasil, Paulo Pinho, afirmou que a companhia petrolífera não tem planos de entrar na distribuição de petróleo no País e que o foco é apenas a produção de etanol e investimentos em tecnologia. "A companhia tem estruturas de distribuição nos Estados Unidos e na Europa, mas não há planos, que eu saiba, para o Brasil", afirmou Pinho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.