BP revela lucro ajustado de US$ 3,7 bi no 3º trimestre

A britânica BP reportou lucro atribuído aos acionistas de US$ 3,50 bilhões no terceiro trimestre deste ano, abaixo dos US$ 5,28 bilhões do mesmo período de 2012.

AE, Agencia Estado

29 de outubro de 2013 | 06h45

O lucro atribuído aos acionistas com custo de recolocação, que é uma medida exigida pelas normas contábeis internacionais (IFRS) ajustada pela exclusão de ganhos ou perdas com estoques, somou US$ 3,18 bilhões entre julho e setembro, ante US$ 4,53 bilhões um ano antes. Ao ajustar esse resultado por itens não-operacionais, o lucro seria de US$ 3,69 bilhões, inferior aos US$ 5,01 bilhões no terceiro trimestre de 2012.

No entanto, as receitas totais alcançaram US$ 98,20 bilhões no terceiro trimestre, ligeira alta frente aos US$ 94,42 bilhões na comparação anual. Mas as compras da empresa somaram US$ 76,60 bilhões, acelerando-se sobre os US$ 69,42 bilhões na mesma base de comparação.

A produção total de petróleo da BP somou 3,17 milhões de barris de petróleo equivalentes por dia. A participação da BP na Rosneft foi responsável por 965 mil barris de petróleo equivalentes por dia.

O pagamento de dividendos também foi incrementado pela BP. Em dezembro a companhia distribuirá US$ 0,095 em dividendos por ação ordinária, de US$ 0,090 no segundo trimestre. O pagamento será reavaliado todos os anos, nos resultados do primeiro e do terceiro trimestre, anunciou a empresa.

A petroleira também divulgou planos para aumentar os desinvestimentos em mais US$ 10 bilhões em ativos até o fim de 2015. Os recursos serão utilizados predominantemente para distribuições adicionais aos acionistas, com uma preferência por recompra de ações, anunciou a empresa.

No terceiro trimestre, o capex (investimento em bens de capital) foi de US$ 5,9 bilhões. Todos os custos relacionados ao vazamento de petróleo no Golfo do México foram tratados como itens não-operacionais e tiveram um impacto antes de impostos de US$ 39 milhões no trimestre.

Tudo o que sabemos sobre:
Reino UnidoBPlucro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.