BRA recebe licença para fazer vôos regulares

A empresa de vôos fretados BRA recebeu no início da noite desta quinta-feira autorização do Departamento de Aviação Civil (DAC) para operar vôos regulares e já planeja operar na ponte aérea Rio-São Paulo em maio, com passagens entre R$ 129 e R$ 169. A estréia, no entanto, está condicionada à concessão de permissões de pouso e decolagem que pertenciam à Vasp, conta o presidente da companhia, Humberto Folegatti. O investimento na nova operação poderá chegar a US$ 15 milhões, incluindo projetos de voar para o exterior.Além da ponte aérea, a BRA pretende atender Porto Alegre, Brasília, Vitória, Belo Horizonte e Curitiba a partir do aeroporto de Congonhas, em São Paulo. Mas, segundo Folegatti, tudo vai depender dos horários que o DAC vai conceder. "Não adianta ter horários podres. Não vou entrar com estilingue numa guerra de mísseis".Nos próximos 12 meses, o executivo planeja trazer 10 novas aeronaves Boeing modelo 737-300, com capacidade para 280 passageiros, para poder atender a demanda dos vôos regulares. A BRA também quer voar para quatro novos destinos, além dos 28 que já opera com vôos fretados: Porto Velho, Rio Branco, Cuiabá, Campo Grande e Manaus. Os investimentos para o mercado interno poderão chegar até a US$ 7 milhões.Mas os planos da BRA vão além do mercado doméstico. A empresa pretende nos próximos dois anos trazer quatro aviões de grande porte (767-600) para operar vôos regulares no mercado internacional, mas ainda depende de autorização da Comissão de Estudos Relativos à Navegação Aérea Internacional (Cernai). Os recursos para esse projeto chegam a US$ 8 milhões. Os países que estão na mira da BRA são Portugal, Espanha, Holanda e Inglaterra.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.