REUTERS/Kim Kyung-Hoon
REUTERS/Kim Kyung-Hoon

Braço direito de Carlos Ghosn, Greg Kelly é libertado após pagar fiança

Kelly e Ghosn foram presos por suspeita de conspirar para subfaturar o salário de Ghosn, ex-presidente da Nissan

Dow Jones Newswires , O Estado de S.Paulo

25 Dezembro 2018 | 12h25

O ex-diretor da Nissan, Greg Kelly, braço direito do ex-presidente da companhia, brasileiro Carlos Ghosn, foi libertado sob fiança nesta terça-feira, após ficar preso por aproximadamente um mês no Japão acusado de irregularidades cometidas juntamente a Ghosn.

Um tribunal de Tóquio determinou hoje uma fiança de 70 milhões de ienes (636 mil dólares) para Kelly e concedeu a liberdade, rejeitando um recurso movido pelos promotores. 

O tribunal também estabeleceu condições para a libertação de Kelly, que está proibido de viajar para fora do Japão, a menos que receba a permissão do tribunal, e também de se encontrar com pessoas envolvidas no caso.

Kelly, que planejava fazer uma cirurgia na coluna nos EUA antes de ser preso no mês passado, deve receber tratamento no Japão, segundo seu advogado japonês.

A liberação no dia de Natal encerra uma detenção de cinco semanas - em grande parte isolada de estranhos, além de advogados e funcionários consulares - que começou em 19 de novembro, quando Kelly e Ghosn foram presos por suspeita de conspirar para subfaturar o salário de Ghosn. Ambos alegam inocência.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.