Bradesco: automação em expansão

O Bradesco, considerado um banco popular por excelência, está conseguindo tirar gente das agências. Atualmente, 76% do total de 400 milhões de transações mensais são realizadas por meio de canais automáticos ou eletrônicos. Isso representa maior capacidade de expansão a baixo custo e redução de despesas operacionais. Segundo o sócio da consultoria Austin Asis, Erivelto Rodrigues, a transferência dessas operações para os meios eletrônicos é tendência internacional. De acordo com o diretor de produtos especiais da instituição, Cândido Leonelli, somente com as 8 milhões de operações feitas pela Internet, estima-se que a instituição economize, no mínimo, US$ 4 milhões por mês, mas o número é apenas uma estimativa. Com a ampliação do atendimento eletrônico, o Bradesco expandiu em 65% o número de clientes nos últimos dois anos. No mesmo período, o total de agências cresceu 4%. Nas contas de Rodrigues, sem os meios eletrônicos, o Bradesco teria aumentado as despesas em cerca de 12% ao ano.Operações telefônicasApesar da importância da Internet, o velho e bom telefone está ganhando importância para o banco. Faz apenas um mês e meio que o Bradesco criou outra central de atendimento telefônico e já estuda novos investimentos. Hoje, são 3 mil pessoas no atendimento telefônico, quantidade suficiente para os 10 milhões de clientes e as 17 milhões de ligações mensais. Mas o banco consegue 300 mil novos clientes por mês.Além disso, de acordo com o diretor do telebanco da instituição, Marcos Bader, o Bradesco quer aumentar receitas de produtos e serviços também nas centrais telefônicas, como fazem outras instituições, como o Unibanco. A meta para o início do ano que vem é obter 15% do total de receitas através de contatos telefônicos - a fatia atual é menor do que 5%.Crescem os clientes via InternetO crescimento do número de clientes na Internet já criou auto-suficiência para essa área dentro do banco. Segundo Leonelli, enquanto vários sites fecham suas portas, a eficiência desta unidade do banco supera a apresentada pelo Bradesco. Isso porque a relação entre despesas e receitas é de 57,3% para a unidade de Internet e de 60% para o banco comercial - quanto menor o índice, maior a eficiência. A meta do banco é ultrapassar, neste quesito, o índice de desempenho do banco comercial. Para o segundo trimestre do ano que vem, de acordo com Leonelli, o indicador de eficiência da Internet vai passar para 40%. De acordo com o executivo, a soma de todas as despesas diretas e indiretas com operações da Internet atingem R$ 1,7 milhão por mês, ante receitas de R$ 3 milhões.Comércio eletrônico ficará por conta da ScopusO Bradesco vai anunciar, ainda neste mês, a transferência de parte das operações de comércio eletrônico, realizada no site da instituição, para a controlada Scopus. Dessa forma, a Scopus passará a administrar as 400 lojas que oferecem seus produtos no site e as outras 600 em fase de finalização de contrato. O site registra 400 mil vendas por mês, com movimento de R$ 35 milhões, mas apenas 50 mil são pagas pelo Bradesco.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.