Bradesco: cartões não terão mais juros de 2 dígitos

As taxas de juros cobradas nos cartões de crédito do Bradesco não terão mais dois dígitos, segundo o diretor executivo do banco, Marcelo Noronha. Esse benefício também será estendido, conforme ele, aos cartões private label (lançado em parcerias com lojas e varejistas). "Nosso entendimento é de que os bancos têm de fazer a sua parte. Estamos virando a página de taxas de dois dígitos no cartão de crédito", avaliou Noronha, em teleconferência com a imprensa.

ALINE BRONZATI, Agencia Estado

24 de setembro de 2012 | 16h01

Segundo ele, o Bradesco estuda alterações no rotativo do cartão de crédito desde o ano passado e vem reduzindo os juros paulatinamente. Para compensar essa redução, o banco espera, conforme Noronha, aumentar a sua base, o número de transações e ter ganho de escala.

O Bradesco anunciou nesta segunda-feira (24) corte de 54% na taxa de juros máxima do crédito rotativo, passando de 14,9% para 6,9%. Os juros cobrados no parcelamento nos cartões de crédito recuaram de 8,9% para 4,9%, na máxima. A redução vale para todas as bandeiras Visa, American Express, ELO e Mastercard.

As novas taxas do crédito rotativo, de saque, parcelamento do emissor e parcelamento da fatura dos cartões de crédito valem para todos os mais de 95 milhões de cartões de crédito administrados pelo Bradesco e entram em vigor em 1 de novembro. O volume de faturamento desses cartões representa R$ 49 bilhões por ano.

Tudo o que sabemos sobre:
juroscartãoBradescoredução

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.