Bradesco compra Banco ibi, da C&A

Negócio, cujo valor supera R$ 1 bilhão, dá ao Bradesco uma presença maior no mercado de cartões de crédito

Alexandre Calais, O Estadao de S.Paulo

05 de junho de 2009 | 00h00

O Bradesco fechou ontem à noite a compra do Banco ibi, ligado à rede varejista holandesa C&A, em um negócio de mais de R$ 1 bilhão. A compra será anunciada hoje à Comissão de Valores Mobiliários (CVM). É a primeira aquisição feita pelo Bradesco na gestão de Luiz Carlos Trabuco Cappi, que assumiu a presidência em março.O Banco ibi nasceu em 2002, quando a divisão de serviços financeiros que administrava os cartões de crédito da C&A ganhou vida própria. Com o tempo, passou a prestar serviços também para outras redes varejistas de todo o País, como Angeloni, de Santa Catarina, Modelo, de Mato Grosso, e a rede de lanchonetes McDonald?s. Além dos cartões próprios das redes, o banco também emite cartões com as bandeiras Visa e Mastercard. No total, o ibi tem uma carteira de mais de 20 milhões de clientes. Segundo informações da página do banco na internet, está presente em todo o território nacional, com mais de 400 pontos de venda, considerando-se as lojas próprias e lojas de parceiros. Além disso, tem também operações em outros países, como Argentina e México. A venda para o Bradesco faz parte da estratégia da Cofra Holding AG, controladora da C&A, de se desfazer de todas as suas operações bancárias no mundo. Procuradas, a assessoria do Banco ibi não se pronunciou e a do Bradesco não retornou as ligações.Com a aquisição, o Bradesco praticamente dobra sua base de clientes de cartão de crédito, o que o deixa provavelmente na segunda posição entre os maiores do País nesse setor, atrás apenas do Itaú-Unibanco - que conta com fortes parcerias com grandes grupos varejistas para a emissão de cartões. As financeiras ligadas a grupos varejistas cresceram muito no País nos últimos anos. Além da C&A, também têm operações de grande porte nessa área as varejistas Renner e Riachuelo. Além de cartões de crédito, essas instituições operam também com crédito pessoal e no financiamento das vendas das lojas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.