Bradesco compra Banco Mercantil de São Paulo

O vice-presidente e diretor de Relações com Investidores do Bradesco, Luiz Carlos Trabuco Cappi, encaminhou esta manhã à Bolsa de Valores de São Paulo e à Comissão de Valores Imobiliários (CVM) fato relevante informando a aquisição do Banco Mercantil de São Paulo pelo Bradesco. O valor da transação é de R$ 1,372 bilhão, dos quais 40% serão pagos em dívida subordinada. Segundo o fato relevante, a operação envolve a compra de 2.764.959.259 ações ordinárias e 2.277.767.313 preferenciais, que representam 90,11% do capital votante e 74,23% do capital sem direito a voto, correspondendo a 82,17% do capital social do Mercantil.O "Instrumento Particular de Compromisso de Compra e Venda de Ações e Outras Avenças" foi celebrado ontem, dia 13, pelo Bradesco e os controladores do Banco Mercantil de São Paulo, objetivando a aquisição do controle acionário da instituição. O negócio abrange também as empresas controladas pelo Mercantil, no Brasil e no exterior, e inclui a aquisição da totalidade do capital social do Banco Mercantil de São Paulo Internacional (Luxemburgo) S/A, da Finasa Seguradora S/A e da Finasa S/A Crédito, Financiamento e Investimento.A concretização da operação está subordinada à aprovação das autoridades competentes e à conclusão de "due diligence" a ser realizada durante o mês de janeiro de 2002, com ajuste no valor da negociação, se for o caso.Ativo total de R$ 116,281 bilhõesCom a aquisição do Banco Mercantil de São Paulo, o Bradesco passa a ter ativo total de R$ 116,281 bilhões, o que significa um aumento de 8,24%. O Mercantil tem ativos de R$ 8,853 bilhões, enquanto o Bradesco possui R$ 107,428 bilhões. Segundo fato relevante, a carteira de empréstimos do Bradesco passa a ser de R$ 49,440 bilhões, apontando aumento de 9,23%. São R$ 45,264 bilhões do Bradesco e R$ 4,176 bilhões do Mercantil. Os depósitos atingem R$ 44,868 bilhões, com crescimento de 10,87%, sendo R$ 40,470 bilhões do Bradesco e R$ 4,398 bilhões do Mercantil. A captação no mercado aberto sobe 7,45%, para R$ 10,564 bilhões, sendo R$ 9,832 bilhões do Bradesco e R$ 732 milhões do Mercantil. Os fundos e carteiras administradas do Bradesco chegam ao montante de R$ 58,620 bilhões, com elevação de 3,44%. São R$ 56,668 bilhões do Bradesco e R$ 1,952 bilhão do Mercantil. 12 milhões de clientesA compra do Banco Mercantil de São Paulo também elevará o número de correntistas e de agências do Bradesco. Segundo o fato relevante, os clientes correntistas passarão a 12 milhões, com elevação de 6,27%. São 11,3 milhões do Bradesco e 708 mil do Mercantil. Os postos de atendimento chegarão ao número de 1.464, apontando aumento de 12,44%, sendo 1.302 do Bradesco e 162 do Mercantil. As agências no País vão somar 2.790, com aumento de 8,56%, sendo 2.570 do Bradesco e 220 do Mercantil. Com a compra, o Bradesco passará a ter ainda oito agências no exterior. O banco já possuía cinco e comprou as três do Mercantil. O negócio elevará o patrimônio líquido do Bradesco em 1,86%, de R$ 9,457 bilhões para R$ 9,633 bilhões. No fato relevante, o Bradesco diz que, com o fechamento da operação, "reafirma os objetivos de fortalecer sua presença e atuação no mercado, ampliar ganhos de escala e maximizar o retorno do investimento de seus acionistas, consolidando a sua posição de liderança". De acordo com o comunicado, é intenção do Bradesco que o Mercantil continue a atender aos seus clientes da forma habitual, os quais passarão também a ter acesso à Rede de Atendimento Bradesco após a conclusão da operação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.