Bradesco prevê crescimento de 5% para carteira de crédito

O presidente do Bradesco, Márcio Cypriano, acredita que a carteira de crédito da instituição terá crescimento de apenas 5% neste ano. "A demanda por empréstimos tem sido muito fraca", afirmou o executivo. Segundo ele, deve haver uma pequena melhora no quarto trimestre. No final de setembro, a carteira de crédito totalizava R$ 52,776 bilhões, com aumento acumulado de 3,8% em relação a dezembro de 2002 (R$ 50,8 bilhões). Cypriano aposta em expansão mais forte do crédito em 2004, devido às perspectivas de aquecimento da economia. "A carteira de crédito deve aumentar em torno de 20%, com uma evolução de 3,5% da economia", afirmou. MicrocréditoO Bradesco já fechou 68 mil contratos de microcrédito, que totalizam R$ 32 milhões, segundo o vice-presidente e diretor de Relações com Investidores do Bradesco, José Luiz Acar. Esses empréstimos foram realizados nos moldes exigidos pelo governo, com taxa de 2% ao mês. Segundo determinação federal, os bancos são obrigados a destinar 2% dos depósitos à vista para o microcrédito ou recolher o montante na forma de compulsório. O Bradesco, por exemplo, terá de destinar R$ 220 milhões, sendo que R$ 32 milhões já foram emprestados. Perspectivas econômicasO Bradesco aposta em uma Selic, a taxa básica de juros da economia, de 18% ao ano em dezembro de 2003 e de 14,5% ao ano no final de 2004. O dólar deve ficar entre R$ 2,90 e R$ 3,03 neste ano e em R$ 3,16 em 2004.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.