Bradesco segue Copom e reduz juros

Após a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom), de reduzir a Selic, a taxa básica de juros da economia, o Bradesco anunciou redução das taxas de juros de diversas modalidades de crédito. Segundo a assessoria do Bradesco, "a medida beneficia os custos dos empréstimos para clientes pessoas físicas e pessoas jurídicas, simultaneamente".De acordo com o Bradesco, serão praticadas as seguintes reduções para os clientes pessoa física do Bradesco: os juros do Cheque Especial caíram de 8,33% ao mês para 8,31% ao mês, na máxima, e de 4,64% ao mês para 4,63% ao mês, na mínima.As taxas do Crédito Pessoal foram reduzidas de 5,87% ao mês para 5,85% ao mês, na máxima, e de 3,32% ao mês para 3,30% ao mês, na mínima. O Crédito Pessoal Consignado operará com taxa mínima a partir de 1,75% ao mês.Para empresas, os juros do Capital de Giro caíram de 6,26% ao mês para 6,24% ao mês, na máxima, e de 3,23% ao mês para 3,21% ao mês, na mínima. Os juros da linha de Desconto de Duplicatas e de Cheques foram reduzidos de 4,51% ao mês para 4,49% ao mês, na máxima, e de 2,20% ao mês para 2,18% ao mês, na mínima.Já as taxas da Conta Garantida tiveram quedas de 6,74% ao mês para 6,72% ao mês, na máxima, e de 3,66% ao mês para 3,64% ao mês, na mínima. O banco esclarece que as novas taxas vigoram a partir de amanhã.ElogiosO banco também divulgou declarações do seu presidente, Márcio Cypriano, também presidente da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), elogiando a decisão do Copom. "A política monetária cumpriu com sucesso o desafio anterior de enquadrar a inflação à meta", afirma."Com a redução, o Copom reforça uma expectativa positiva em relação ao desafio do crescimento sustentável da economia, com reflexos nos indicadores já nesse final de ano", destacou Cypriano, acrescentando que a redução da Selic adiciona fator positivo à performance do setor bancário.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.