Bradesco: tecnologia para deficientes visuais

Tecnologia. Esta é a palavra-chave para a integração entre os deficientes visuais e o Bradesco. Há dois anos, a instituição lançou um projeto que possibilita aos deficientes fazer todas as operações bancárias sem sair de casa. O programa está disponível desde 1998 e possui 3 mil usuários.Tudo começou com uma carta enviada por um usuário à sessão de críticas e sugestões do banco, em 1994. O cliente reclamou que o Bradesco não oferecia recursos para que os deficientes tivessem acesso a todas as informações e serviços disponíveis do banco. A carta despertou a área de tecnologia da empresa, que em conjunto com a empresa Micropower, desenvolveu o CD-Rom. Programa apresenta bons resultados O programa do Bradesco permite a consulta de saldos, pagamento de contas, transferências, obtenção de extratos, investimentos, acesso ao Home Banking, entre outros serviços. O CD-Rom possui um programa de sintetizador de voz, que funciona através de fonemas e lê todas as palavras da tela, orientando o cliente na execução das operações.A Fundação Bradesco oferece um curso gratuito aos deficientes visuais para que eles aprendam a operar com o Cd-Rom e se familiarizem com os serviços oferecidos pela instituição. O curso já formou 543 pessoas em todo Brasil. Os interessados devem se informar numa agência ou por meio do próprio site do banco (veja link abaixo).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.