Bradesco vê topo de ranking a longo prazo

SEM AQUISIÇÕES

, O Estadao de S.Paulo

30 de janeiro de 2009 | 00h00

Rebaixado ao segundo lugar no ranking nacional de bancos após a fusão do Itaú com o Unibanco, o Bradesco pretende retomar a liderança a médio e longo prazos, segundo o presidente do conselho de administração, Lázaro de Mello Brandão. Ele adiantou que não haverá aquisições dentro ou fora do País e a expansão será orgânica, com ampliação de agências e serviços. Em entrevista coletiva na Associação Comercial do Rio, o banqueiro admitiu que a recuperação do primeiro lugar no ranking é "difícil" no curto prazo. "Não estamos olhando nada agora", disse ele, destacando não haver muitas oportunidades de aquisição no momento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.