Bradesco vence Ranking AE Projeções 2010

Agência Estado avalia informações fornecidas pelas instituições e premia aquelas que apresentam previsões mais próximas dos indicadores efetivos

Francisco Carlos de Assis, O Estado de S.Paulo

30 de abril de 2010 | 00h00

Previsões certeiras fizeram do Bradesco o vencedor em 2010 da quarta edição do Ranking AE Projeções. Em cerimônia realizada no Hotel Renaissance, em São Paulo, o economista-coordenador da instituição, Fernando Honorato Barbosa, recebeu do presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, o prêmio pela primeira posição no ranking na categoria Top 10 Geral.

Na categoria principal, são avaliadas as previsões econômicas para sete indicadores: inflação (IPCA e IGP-M), Selic, dólar, Produto Interno Bruto (PIB), balança comercial e relação dívida/PIB. Barbosa também levou para Osasco, sede da matriz do banco, o prêmio da categoria Top 10 Básico, que considera as previsões apenas para inflação, Selic e dólar.

Além do Ranking AE Projeções, a Agência Estado ? que está completando 40 anos ? realiza o Ranking AE Empresas e Setores, que premia as empresas que garantiram maior retorno aos acionistas, e o Ranking AE Analistas, que concede prêmio a analistas que obtiveram melhor retorno nas carteiras de ações sugeridas.

A Mauá Investimentos, representada por seu economista-chefe, Caio Megale, também levou duas estatuetas: primeiro lugar no Top 10 Básico e segundo na categoria Top 10 Geral. Ao lado do Bradesco, a Mauá foi a instituição que apresentou as mais certeiras projeções, em relação ao resultado final dos indicadores, na média dos quatro trimestres de 2009.

"É muito bom ser contemplado com o prêmio de uma empresa importante como a Agência Estado, porque diferentemente das áreas de trade, que têm seus resultados claros numa tela, o trabalho do economista cai sempre em uma área fluida", afirma o chefe do Departamento Econômico da Mauá. Para ele, o Ranking AE Projeções ajuda na avaliação da equipe. "Um prêmio dessa importância ajuda na hora de puxarmos a sardinha para a área econômica", diz Megale.

Acompanhamento. O trabalho para se chegar às projeções mais próximas aos resultados efetivos, segundo o economista-chefe da Mauá, não é fácil. A atividade requer o acompanhamento atento e constante do noticiário. "Para fazermos a previsão de inflação, por exemplo, temos um modelo estrutural estatístico. Mas um evento como uma quebra de safra do feijão, por exemplo, o modelo não pega. Isso só ficamos sabendo acompanhando o noticiário da AE Broadcast e dos jornais", afirma Megale, referindo-se ao serviço em tempo real da Agência Estado.

Pela primeira vez entre os dez melhores, a Rosenberg & Associados ocupou a terceira posição no Top 10 Geral e o quinto lugar no Top 10 Básico. Os prêmios foram recebidos pela economista-chefe da instituição Thaís Zara.

Grande vencedora da primeira edição do Ranking AE Projeções, a Tendências Consultoria Integrada recebeu desta vez os prêmios pelo quarto lugar no Top 10 Geral e pela terceira posição no Top 10 Básico. O quinto premiado na categoria mais ampla foi o departamento econômico do Banco BNP Paribas, comandado pelo economista Alexandre Lintz. A instituição também recebeu o troféu pela sexta colocação no Top 10 Básico.

Ilan Goldfajn, ex-diretor do Banco Central, economista-chefe do Itaú Unibanco e um dos responsáveis pela unificação dos departamentos econômicos das duas instituições após a fusão, recebeu o prêmio pelo sexto lugar na categoria Top 10 Geral.

Prateleira. Outro destaque da noite foi a Modal Asset Management, que ficou entre as dez melhores do ano nas quatro edições do Ranking AE Projeções. "Estamos com nossa prateleira cheia de troféus da Agência Estado", conta o economista e estrategista-chefe da Modal, Alexandre Póvoa. A equipe levou dois troféus: o do sétimo lugar no Top 10 Geral e o do décimo no Top 10 Básico.

O Banco Fibra ocupou a oitava posição no Top Geral e a quarta no Básico. O prêmio foi recebido pela economista-chefe, Maristella Ansanelli. Na primeira edição do ranking, a economista ganhou um prêmio; na segunda edição, dois; e no ano passado, foram mais dois prêmios.

Estreante na lista das dez instituições que mais acertaram suas projeções ao longo do ano passado, o Banco Alfa de Investimento ganhou dois prêmios. O diretor-tesoureiro, Beny Fiterman, recebeu os prêmios pelo nono lugar no Top 10 Geral e oitavo no Top 10 Básico.

O economista-chefe do português Banco Espírito Santo (BES), Jankiel Santos, foi contemplado pelo sétimo lugar no Top 10 Básico. O Banco Cooperativo Sicredi, de Porto Alegre, levou a décima posição no Top 10 Geral.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.