Brasil aceita tratamento especial ao Paraguai no Mercosul

O ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, afirmou nesta sexta-feira que o Brasil deverá aceitar o pedido do Paraguai para um tratamento preferencial e diferenciado dentro do Mercosul. Segundo ele, essa linha de ação deverá permitir que o processo de integração entre os quatro países seja saudável e para que possa contribuir com o objetivo do novo presidente do país vizinho de formalizar a economia paraguaia."O Brasil já reconheceu que a assimetria no grau de desenvolvimento dos seus parceiros tem de ser levada em conta em um processo de integração saudável, que envolva os setores produtivos", afirmou. "A integração vai ocorrer. A questão é saber se vai ser boa, produtiva e benéfica aos povos, ou se será má".Segundo o chanceler, a ajuda brasileira ao novo governo do Paraguai se dará em vários pontos, como na área de infra-estrutura, com a construção da segunda ponte sobre o rio Paraguai, que liga Foz do Iguaçu a Ciudade del Leste. Outra ajuda será na fiscalização das atividades desenvolvidas a partir de investimentos estrangeiros. Ele informou que o governo brasileiro pretende explorar mercados no Paraguai que possam estar interligados a cadeias produtivas do País.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.