Brasil ainda não decidiu sobre renovação de acordo, destaca FMI

O diretor para Relações Externas do Fundo Monetário Internacional (FMI), Thomas Dawson, disse ontem que o governo brasileiro ainda não apresentou uma decisão final sobre a renovação do seu programa de ajuda financeira com o organismo multilateral, o que deveria ocorrer em março. "As autoridades (brasileiras) estão ainda considerando o que será feito e estamos prontos para trabalhar com eles da maneira que eles considerarem apropriada", disse Dawson em entrevista à imprensa.Dawson também foi questionado sobre a implementação pelo Fundo de um projeto piloto que permitiria ao Brasil mudanças na contabilidade dos investimentos públicos em infra-estrutura. O governo brasileiro pleiteia que alguns investimentos não sejam contabilizados como gastos nos cálculos fiscais.Segundo Dawson, o FMI ainda está promovendo uma ampla revisão do tratamento contábil dos investimentos públicos em infra-estrutura. "Essa não é uma revisão que questiona o que pode ou não pode ser contabilizado", disse Dawson. "É uma questão de onde contabilizar isso. Isso então talvez necessite um ajuste nas contas, mas não é como se estivéssemos fingindo que o gasto não ocorreu."Dawson salientou que não é correto dizer que o Fundo "vai aprovar as mudanças das regras contábeis para o Brasil. Segundo ele, o Fundo está desenvolvendo regras que poderão ser usadas amplamente por vários países. Ele observou que o Fundo já permitiu que o Brasil desse um tratamento diferenciado para a contabilidade orçamentária de certos gastos, inicialmente da Petrobrás e posteriormente dos investimentos sanitários.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.