Brasil anuncia troca de títulos da dívida externa

Com o objetivo de melhorar o perfil de pagamento futuro da dívida externa, o Tesouro Nacional informou hoje em comunicado que está avaliando a conveniência de realizar em breve uma operação de troca de títulos para retirar do mercado os papéis denominados em C-Bond. Ele é o mais famoso dos sete títulos utilizados na operação de renegociação da dívida externa brasileira, concluída em 1994 e resultante da moratória dos anos 80. Estão no mercado hoje cerca de US$ 5,6 bilhões destes títulos. O C-Bond reagiu com queda moderada ao comunicado do Tesouro.O secretário-adjunto do Tesouro, José Antonio Gragnani, não informou quanto o Tesouro pretende retirar do mercado e nem mesmo o papel que poderá ser trocado pelo C-Bond. Ele negou que esteja pensando em fazer este tipo de operação com outros títulos. "Estamos sendo muito transparentes. Não há entrelinhas no comunicado. O que está escrito é C-bond", disse. Mesmo com a marca da moratória brasileira na década de 80, o C-Bond foi por muitos anos o papel com maior liquidez do mercado internacional dos países emergentes. Nos últimos dois anos, vem perdendo o posto para o Global 40, com vencimento em 2040. Como o C-Bond é um papel originário de um calote, muitos fundos e seguradoras, por regras próprias, não podem adquiri-lo. A maior parte deste títulos está na mão de investidores norte-americanos e europeus.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.