carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Brasil apóia candidato francês para o FMI

Na ONU, Lula manifestou apoio a Dominique Strauss-Kahn, revela Amorim

Nalu Fernandes,

25 de setembro de 2007 | 21h34

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva manifestou nesta terça-feira o apoio ao candidato da Franca, Dominique Strauss-Kahn, para o posto de diretor-gerente do FMI. A informação foi dada pelo ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, em entrevista a jornalistas após encontro com a representa dos EUA para Comércio Exterior, Susan Schwab, no hotel Waldorf Astoria. A defesa do candidato francês em detrimento do checo Josef Tosovsky, candidato da Rússia, foi feita na tarde de hoje durante encontro com o presidente da França, Nicholas Sarkozy. "O presidente manifestou apoio ao candidato francês na pressuposição de que apoiará a agenda de reforma (do FMI)" , afirmou Amorim. Os candidatos checo e francês concorrem à vaga do diretor Rodrigo de Rato que deixará o Fundo em outubro. O encontro entre os presidentes Lula e Sarkosy foi caloroso, mas não abordou a questão agrícola, ponderou o ministro. Amorim observa que Sarkozy dá suporte a perspectiva de que o "G-8 tem de evoluir logo para um G-13", para formar um grupo que inclua Brasil, México, India, China e África do Sul. Na sequência, o ministro tem encontro com os representantes destes cinco países na sede da ONU, em Nova York.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.