Brasil avança uma posição no ranking do Banco Mundial

O Brasil passou a ocupar o sexto lugar na economia mundial, diz Banco Mundial. A instituição divulgou os dados do Programa de Comparação Internacional (PCI), com 146 países. Pela paridade do poder de compra, o País passou de 7º para 6º no ranking mundial e é responsável por metade da economia da América do Sul e por quase 2/3 dos gastos governamentais da região.O Brasil aparece em sexto lugar, com o equivalente a 3% do Produto Interno Bruto (PIB) mundial, junto a Grã-Bretanha, França, Rússia e Itália. Na medida convencional, o Brasil é sétima economia, com 2% do PIB, junto a Índia, Rússia e México.O salto, segundo o Banco Mundial, se deve à nova avaliação. Em vez de utilizar a medida cambial, ou seja, converter o PIB em dólares, foi usada a paridade do poder de compra, que expressa os valores das moedas locais. Dessa forma, segundo a entidade, "os números refletem o valor real de cada economia, com as diferenças sendo corrigidas em níveis de preços sem que sejam afetadas por movimentos transitórios de taxas cambiais".Ainda segundo o Banco Mundial, pelas novas pesquisas, a China, em vez do quarto lugar na economia mundial, passou ao segundo posto. A economia mundial produziu US$ 55 trilhões em mercadorias e serviços em 2005, sendo quase 40% deste valor oriundos de países em desenvolvimento. Pouco mais de 20% vêm de China, Índia, Rússia, Brasil e México.Os EUA continuam no topo do ranking, mas com uma economia menor. Enquanto pelo sistema cambial o país tem o equivalente a 28% do PIB mundial, pela paridade, tida como mais realista, tem 23%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.