finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Brasil bate recorde de consumo de energia em horário de pico

O Brasil voltou a bater novo recorde no consumo de energia elétrica no horário de ponta. Segundo dados preliminares do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) a "demanda máxima instantânea" do Sistema Interligado Nacional (SIN) atingiu 58.816 MW às 18h58m de ontem. O recorde anterior havia sido batido no último dia 9, quando atingiu 58.653 MW. Além da "demanda instantânea", também o consumo médio indica demanda crescente por energia elétrica neste mês de setembro.Os técnicos do ONS não sabem identificar a origem deste consumo, mas os executivos do setor são unânimes em apontar que a indústria tem sido a principal responsável pela expansão da produção. O aumento do consumo tem sido maior nas regiões Sul e Nordeste. A carga média no Sul atingiu ontem 8.197 MW médios, o que representa um patamar 7,36% acima da previsão do Programa Mensal de Operação (PMO).Essa programação é realizada todos os meses, o que permite um balizamento bastante próximo da carga efetiva, com o sistema raras vezes registrando oscilações dessa ordem de grandeza. No Sudeste, responsável por dois terços do consumo de energia elétrica no País, a carga média do mês está em linha com as projeções do PMO, com queda de 0,06% em relação à programação do final do mês passado.Ontem, a região Sudeste demandou 29.647 MW médios, enquanto no Nordeste a carga atingiu 6.709 MW médios, com aumento de 0,33% em relação ao programado. A única região que está abaixo da previsão do PMO é o Norte, com carga 2,16% inferior à programação mensal, com consumo de 3.132 MW médios registrados ontem.Capacidade dos reservatóriosOs reservatórios das grandes hidrelétricas continuam em patamares bastante confortáveis, inclusive no Nordeste, conforme acompanhamento do ONS. Tradicionalmente há um esvaziamento desses reservatórios no período de julho a novembro, mas este ano os reservatórios do Sudeste e Nordeste só começaram a perder água no mês passado.Ontem, na região Sul, a taxa de ocupação dos reservatórios das usinas estava em 66,63% da capacidade máxima, o que representa 33 pontos percentuais acima do registrado em setembro do ano passado. Na região Sudeste, os reservatórios estão em 68,82% da capacidade máxima, o que equivale a 18,62 pontos percentuais sobre setembro de 2003.A região Nordeste, que costuma apresentar os maiores problemas de abastecimento, está com taxa de 76,33% de ocupação, o que é quase três vezes os 27,78% registrados em setembro do ano passado. No Norte, o percentual de ocupação era de 58,15% do potencial máximo, patamar de 11,18 pontos acima de setembro de 2003.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.