Brasil busca estreitar comércio de álcool com EUA

O Brasil começa a estreitar as relações comerciais com os Estados Unidos, na tentativa de ampliar o mercado de álcool combustível para os norte-americanos. Nesta semana, o ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, visita Nova York e Washington, cidades nas quais dará palestras sobre a experiência brasileira com o combustível e deverá se reunir com o secretário de Agricultura dos Estados Unidos, Mike Johanns. A produção norte-americana, próxima a 17 bilhões de litros de álcool de milho, não deve ser suficiente para suprir a demanda pelo combustível no país, graças à alta do petróleo e à crescente substituição do MTBE (éter metílico terc-butílico) pelo etanol na indústria. Na última semana, o Rodrigues conversou com investidores e técnicos que integraram uma comitiva de americanos que visitou o Brasil a convite do consultor e presidente da Câmara Setorial do Açúcar e do Álcool, Luiz Carlos Corrêa Carvalho. É terceira missão daquele país em visita ao Brasil desde o mês passado. De acordo com Carvalho, é grande a pressão para que o imposto sobre o álcool brasileiro importado pelos Estados Unidos, de 54 centavos de dólar por galão (US$ 142,65 por metro cúbico), seja ao menos reduzido. Renovação de estoques No entanto, como a produção excedente de etanol na safra 2006/2007 brasileira servirá para renovar os estoques, "agora é um momento bom para um acordo entre os dois países, pois os Estados Unidos não podem ter a visão de que o Brasil é o vilão no álcool que tem os estoques na mão", disse Carvalho. "Com o cenário de escassez dos dois lados é que pode surgir a parceria", completou. Por isso, é provável que o ministro Rodrigues costure um acordo com os americanos de redução ou corte temporários da taxa sobre o álcool brasileiro, atrelado, no entanto, a uma cota de exportação que garanta o abastecimento do combustível no Brasil. Carvalho só não irá acompanhar Rodrigues na viagem aos Estados Unidos porque na próxima segunda-feira, em Brasília (DF), o Ministério das Minas e Energia realiza um seminário também sobre o álcool do qual irão participar representantes de toda a América Latina e do Caribe. Com o evento, o governo pretende ampliar o mercado do combustível e incentivar a produção de etanol de cana nesses países.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.